Cuca descarta "jogo de compadres" entre argentinos e uruguaios por vaga

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Cuca acredita que uruguaios e argentinos não jogarão por empate na Libertadores

    Cuca acredita que uruguaios e argentinos não jogarão por empate na Libertadores

Em situação complicada na Libertadores da América, o Palmeiras dependerá de uma combinação de resultados na última rodada para garantir a vaga na próxima fase do torneio.

Na próxima quinta-feira (14), às 21h45 (horário de Brasília) o Palmeiras enfrentará, no Allianz Parque, o River Plate-URU. No mesmo dia e horário, Rosario Central e Nacional se enfrentam no Uruguai.

Para seguir na competição, o Palmeiras precisa superar o River Plate, preferencialmente por três gols de diferença, e torcer por uma vitória do Nacional contra o Rosario. Caso a partida entre uruguaios e argentinos termine em empate, o Palmeiras estará eliminado do torneio. Contudo, o técnico Cuca não aposta em um "jogo de comadres" para eliminar a equipe brasileira.

"Acho que o uruguaio não tem isso. Tem jogadores que passaram por aqui, como Victorino, Eguren. Ganhando, eles terão um posto melhor. Se perderem, perdem o primeiro lugar (do grupo). Se empatar, são pontos que podem passar abaixo. Estão pensando nisso", avaliou o treinador em relação a postura do Nacional, que lidera o grupo 2 com nove pontos, um a mais do que o Rosario Central.

Para o treinador alviverde, não adianta pensar apenas no resultado do outro jogo do grupo e esquecer-se da missão principal, que é vencer o River em São Paulo.

"Não adianta nada acontecer lá e não acontecer aqui. Temos que nos preparar bem, fazer a nossa parte, que não vai ser fácil fazer três gols. Vamos trabalhar pensando em fazer um bom jogo e as coisas acontecerem a nosso favor", salientou Cuca, que descartou sofrer uma pressão maior caso seja eliminado.

"É obrigação (classificar), mas às vezes acontece (a eliminação). Olha quem vai ser o campeão na Inglaterra. Não deveria ser o Manchester? Os pequenos também trabalham. Eu acho que a gente vai passar", revelou o treinador.

Por fim, Cuca descartou ficar lamentando a arbitragem da partida contra o Rosario Central. Na ocasião, Gabriel Jesus acabou expulso após agredir um rival e um pênalti questionável foi marcado para a equipe argentina.

"É passado, não adianta (lamentar). Arbitragem sul-americana é assim. É um ser humano que está ali, é passível de erros e de, em algum momento, ir junto (com a torcida). 40 mil pessoas gritam, de repente o apito vai junto. Se é do outro lado, que ninguém grita, aí o apito fica lá embaixo. Se fosse aqui, vamos pensar que seria igual", contemporizou Cuca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos