Classificação com goleada. Atlético se garante nas oitavas da Libertadores

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • REUTERS/Washington Alves

    Jogadores do Atlético-MG comemoram gol em goleada sobre o Melgar, na Libertadores

    Jogadores do Atlético-MG comemoram gol em goleada sobre o Melgar, na Libertadores

Um empate já era suficiente para o Atlético-MG garantir presença nas oitavas de final da Libertadores. Mas com 16 minutos a equipe brasileira já tinha resolvido o jogo contra o Melgar, do Peru. Com o primeiro lugar assegurado, agora o Atlético aguarda os confrontos da próxima semana para descobrir quem vai ser o adversário na fase seguinte. No final uma goleada por 4 a 0, com direito a gol de Robinho, o primeiro dele nesta edição do torneio.

Com 13 pontos e oito gols de saldo, o Atlético é momentaneamente o 3ª colocado na classificação geral. Somente duas equipes podem tirar o time brasileiro dessa posição, que são Toluca e Corinthians. Aos mexicanos bastam um empate com o Grêmio, enquanto os brasileiros precisam vencer o Cobresal por seis gols de diferença, ou quatro, desde que marquem pelo menos seis vezes.

Como já disputou as seis partidas pela fase de grupos, na próxima semana o Atlético vai acompanhar a Libertadores do sofá. Para saber qual vai ser o adversário das oitavas, além do caminho na busca do bicampeonato da América.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 4 X 0 MELGAR-PER

Data: 14/04/2016 (quinta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 6ª rodada do grupo 5 da Copa Libertadores
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 36.031 pagantes
Renda: R$ R$ 1.630.310,00
Árbitro: Jesus Valenzuela (VEN)
Assistentes: Carlos Lopez e Luis Sanchez (VEN)
Cartões amarelos: - (CAM) - (MEL)
Gols: Thiago a 1 min, Robinho aos 7 min e Lucas Pratto aos 16 min do primeiro tempo; Carlos aos 23 min do segundo tempo

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Tiago, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca (Eduardo, aos 21 do 2º), Júnior Urso e Cazares (Carlos, aos 18 do 2º) (Pablo, aos 33 do 2º); Robinho e Lucas Pratto.
Treinador: Diego Aguirre.

MELGAR
Ferreyra; Bolaños, Villamarín, Santamaría e Quina; Hinostroza (Arismendi, aos 13 do 2º), Arias, Leudo (Patricio Arce, aos 38 do 2º), Loyola e Sánchez (Diego Estrada, aos 24 do 2º); Cuesta.
Treinador: Juan Reynoso.

Fases do Jogo

  • 1º Tempo47 segundos. Foi o tempo que o Atlético precisou para fazer o primeiro gol da noite, no Mineirão. Foi do zagueiro Tiago, que não marcava desde 2014. O camisa 26 pegou o rebote do goleiro Ferreyra, após cabeçada de Júnior Urso. O empate era mais do suficiente para o time alvinegro se classificar, mas a postura em campo era em busca de gols. Tanto que aos 7 minutos já estava 2 a 0, com Robinho, em impedimento. E antes a bola já tinha batido na trave, em tentativa de Cazares. Lucas Pratto também deixou o dele, aos 16, em cobrança de pênalti. O que parecia ser uma goleada histórica, virou um jogo controlado. Muita troca de passe, quase sempe no campo ofensivo. O Atlético já não tinha a mesma intensidade dos primeiros minutos e mesmo com toda a fragilidade do adversário, não marcou mais gols na etapa inicial.
  • 2º TempoSe no primeiro tempo o Atlético fez 3 gols em 16 minutos, no segundo o time só acordou após o 15º minuto. Depois que Cuesta ficou sozinho com Victor, passou pelo goleiro e só não marcou para os peruanos por causa da boa recuperação de Tiago. Lance que despertou o Atlético. Aguirre fez alterações e a equipe alvinegra voltou a criar chances de gol. Até que Carlos ampliou, aos 23 minutos. Mas ficou nisso, o Atlético voltou a tocar a bola e garantiu a liderança do grupo 5, mas perdeu a chance de aplicar uma das maiores goleadas da história da Libertadores.

Destaques

  • Gol 100O primeiro gol de Tiago pelo Atlético numa Copa Libertadores já é histórico. O gol do zagueiro sobre o Melgar foi o 100º do clube mineiro no torneio continental. O artilheiro atleticano na história da competição é o atacante Jô, que marcou 11 gols.
  • RapidinhoUma característica do Atlético como mandante, durante a fase de grupos, foi marcar logo um gol. Foi assim nos três jogos em Belo Horizonte. O que mais demorou foi contra o Independiente Del Valle, aos 3 minutos. Contra Colo-Colo e Melgar a equipe alvinegra precisou de somente um minuto para balançar as redes adversárias.
  • Retorno com gol e dorO atacante Carlos estava sem atuar desde janeiro, por causa de uma lesão no tornozelo direito. A partida contra o Melgar foi a primeira oficial do camisa 13 na temporada, que havia disputado apenas os jogos pela Flórida Cup. A volta aos gramados aconteceu com gol. No entanto, o tornozelo voltou a incomodar o atacante, que deixou o jogo com apenas 15 minutos de participação.
  • Aguirre melhor em 2016?A campanha do Atlético-MG na fase de grupos da Libertadores de 2016 foi melhor do que a do Internacional, comandado pelo próprio Aguirre, em 2015. O número de pontos foi igual, com 13 para cada um. Porem o Atlético de Aguirre teve saldo melhor, oito contra seis do ano passado.

Melhores

  • Júnior Urso, Atlético-MGO volante não fez gols contra o Melgar. Nem sequer atuou na sua posição de origem. Urso jogou aberto pelo lado direito, já que Atlético estava desfalcado de Luan e Hyuri, além de Clayton, ainda não inscrito na Libertadores. Mesmo improvisado, o camisa 20 foi muito efetivo, participando dos principais lances de ataque.

Piores

  • ,

Próximo Jogo - Atlético-MG

  1. Fluminense FLU
    Atlético-MG CAM

UOL Cursos Online

Todos os cursos