Atlético-MG espera sofrimento contra o Racing, mas evita falar em desastre

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Robinho foi bastante acionando no empate sem gols do Atlético-MG com o Racing, pela Libertadores

    Robinho foi bastante acionando no empate sem gols do Atlético-MG com o Racing, pela Libertadores

Vencer por 1 a 0 é suficiente para o Atlético-MG eliminar o Racing nas oitavas de final da Copa Libertadores. Na teoria, um resultado não tão complicado para o time brasileiro, que joga diante de sua torcida. Mas na prática, os jogadores atleticanos sabem que a partida desta quarta-feira vai ser com muito sofrimento.

Nada diferente do que o clube está acostumado. Até mesmo as recentes conquistas foram com doses cavalares de emoção e também sofrimento. Foi assim na Libertadores de 2013 e na Copa do Brasil de 2014, quando a equipe atleticana precisou de grandes viradas para chegar aos títulos. Até mesmo na Recopa, quando venceu o Lanús fora de casa, o Atlético sofreu um pouco e confirmou o título apenas na prorrogação.

É com esse espírito, de que vai ter sofrimento e vai ser difícil vencer o Racing, que os jogadores alvinegros vão entrar em campo. "O time deles virá fechado, temos de ter paciência, mas não deixar de jogar com velocidade. É tocar bem a bola e ter paciência, pois não podemos tomar gol. O time sabe das dificuldades que enfrentar, mas esperamos fazer um grande jogo e conseguir o nosso objetivo", comentou Robinho, que não quer saber de uma eliminação precoce na Copa Libertadores.

"A gente sabe que o clube faz um investimento alto para ter um time competitivo. E não é nosso objetivo sair agora da competição. Claro que no futebol tudo muda muito rápido, nosso objetivo é continuar. E com toda humildade, temos elenco para ganhar as três competições. A Libertadores, o Mineiro e o Brasileiro".

Um dos jogadores com mais tempo de Cidade do Galo, o lateral direito Marcos Rocha sabe como poucos o peso de uma eliminação tão cedo na Copa Libertadores. Apesar de o Atlético ter caído também nas oitavas de final nas duas últimas edições, as circunstâncias eram bem diferentes, a começar pelo investimento feito pela diretoria em 2016.

"É uma semana que pode nos dar tranquilidade para toda a temporada. Jogar às quartas da Libertadores e disputar o título mineiro. No Atlético tudo é tenso e uma derrota pode jogar tudo fora. Mas confiamos no trabalho do Aguirre para ter uma boa semana".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos