Decisão tensa põe à prova o amadurecimento do novo Corinthians de Tite

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Elias sorri em treinamento do Corinthians na terça, véspera do jogo com Nacional

    Elias sorri em treinamento do Corinthians na terça, véspera do jogo com Nacional

Houve momentos dentro da temporada que, segundo o conceito de trabalho de Tite, fizeram o reformulado Corinthians de 2016 amadurecer. O jogo desta quarta-feira, que decide uma vaga entre os oito finalistas diante do Nacional-URU, dará a medida sobre o atual estágio da equipe no que diz respeito a esse crescimento.

Há uma carga de tensão elevada sobre a partida, e não apenas por ela representar um natural risco de eliminação. Nos últimos quatro torneios de mata-mata que disputou, o Corinthians caiu em todos dentro de seu estádio, onde tem um incrível aproveitamento de 81% de pontos conquistados. Para que esse cenário não se repita, é certo que a equipe deverá dar sinais de maturidade. 

O empate em visita contra o Santa Fe-COL, após sair em desvantagem e apresentar futebol ruim no primeiro tempo, foi um momento de amadurecimento citado por Tite. A eliminação contra o Audax, que deixou vários jogadores cabisbaixos, a derrota no clássico com o Palmeiras, uma das piores atuações do ano, também integra essa lista. Mas é derrota de virada diante do Cerro Porteño-COL, com dois jogadores expulsos, que marcou a trajetória. 

LEIA TAMBÉM: AINDA FALTA PERSONALIDADE AO CORINTHIANS DE 2016, OPINAM JUCA E BIRNER

"Se você comparar a equipe (de agora) com a do (jogo com o) Cerro, dentro dos erros com André e Rodriguinho (expulsos), sim (evoluiu). Ela sentiu na carne. Aquele detalhe de que apressa aprendizados sem deixar de competir. Se a equipe é leal, a arbitragem vai ver isso. A gente vai ver quando é leal", explicou Tite. 

No Uruguai, novas experiências foram adquiridas dentro da complexidade que é jogar uma Copa Libertadores. A partida de ida contra o Nacional teve momentos de jogo duro, quase violento, e arbitragem do argentino Patricio Lousteau que deixou a partida correr. Mesmo acuado em alguns momentos, o Corinthians suportou bem a pressão. Mesmo quando tinha dificuldade de criar, foi maduro para reter a bola e fazer o adversário cansar. No fim das contas, o empate sem gols recuperou a confiança e levou a decisão aberta para Itaquera. 

Atrás de uma vitória simples que assegura o passaporte à próxima fase para pegar Cerro Porteño-PAR ou Boca-ARG (que ganhou a ida por 2 a 1), o Corinthians terá aquela que Tite considera a equipe ideal. Não há jogadores lesionados ou suspensos, e Giovanni Augusto está escalado. Ainda há a chance de Marquinhos Gabriel, comprado por mais de R$ 10,5 milhões, estrear. E o comandante, mesmo reticente por dirigir uma equipe em formação, admite que o título naturalmente é possível. 

"Dá. Dá sim. Já tive experiência, já aconteceu dessa forma. Por exemplo, tivemos o aprendizado com Santa Fe de absorver (desvantagem no placar) e reagir logo. O título é nosso objetivo", disse Tite na véspera, com um desejo que já havia sido mencionado por Elias: que não haja outra decisão por pênaltis. 

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS x NACIONAL-URU

Data: 04/05/2016
Horário: 21h45 (horário de Brasília)
Competição: Copa Libertadores
Local: Arena Corinthians
Árbitro: Néstor Pitana (Argentina)

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique; Giovanni Augusto, Elias, Rodriguinho e Lucca; André. Treinador: Tite

NACIONAL
Conde, Fucile, Victorino, Polenta e Espino; Romero, Porras, Barcia e Ramírez; Fernández e Nico López. Treinador: Gustavo Munúa

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos