Marca de Cabañas e Top 3 do SP: Calleri pode fazer história na Libertadores

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

Jonathan Calleri está perto de atingir marca importante pelo São Paulo e na Copa Libertadores, e poderá chegar perto disso nesta quarta-feira, no México. Com oito gols, o artilheiro da competição persegue recorde do paraguaio Salvador Cabañas, maior artilheiro em uma edição nos últimos dez anos, e ainda pode começar a ameaçar os recordes de Rogério Ceni e Luis Fabiano pelo clube.

Os oito gols de Calleri na Libertadores já são suficientes para que ele seja considerado o maior artilheiro da competição desde 2008. O índice atual já faz o argentino de 22 anos empatar com Gustavo Bou (2015), Neymar e Matías Alutiza (2012), Thiago Ribeiro (2010), Mauro Boselli (2009), e Marcelo Moreno e o próprio Cabañas, em 2008. Em 2007, porém, Cabañas marcou dez dos 12 gols na campanha que levou o América, do México, até as quartas de final.

Contando com o segundo jogo das oitavas e os dois jogos das quartas de final – com a classificação já encaminhada depois dos 4 a 0 – Calleri já vislumbra mais três partidas para marcar dois gols e igualar o feito de Cabañas em 2007.

AP Photo/Nelson Antoine
Wesley, pelo Santos, enfrentou Cabañas em 2007

Calleri escalou rapidamente o ranking de artilheiros do São Paulo na história da Libertadores. Os líderes são Luis Fabiano e Rogério Ceni, ambos com 14 gols – o antigo camisa 9 do clube foi o artilheiro da edição de 2004. Com oito gols, Calleri ocupa a sexta posição, empatado com Grafite, Washington e Terto, mas com média superior.

LEIA TAMBÉM: BAUZA ERRA AO DEIXAR GANSO NO BANCO, AVALIA JUCA KFOURI

Se fizer mais dois gols, Calleri chegará à terceira posição do ranking de artilheiros são-paulinos na Libertadores. Empatará com Palhinha, Müller e o uruguaio Pedro Rocha, mas novamente terá média melhor. Estará, então, a quatro gols de Luis Fabiano e Rogério Ceni.

A Conmebol contabiliza até aqui oito gols para Calleri na Libertadores, mesmo que um dos gols tenha sido marcado na primeira etapa eliminatória do torneio, contra o Cesar Vallejo, do Peru, antes da fase de grupos.

O São Paulo fez 4 a 0 no Toluca no primeiro jogo das oitavas de final, no Morumbi – sem Calleri –, e define a vaga às 19h15 (de Brasília) desta quarta no estádio Nemesio Díez. Se fizer um gol, o São Paulo precisa perder por 6 a 1 para ser eliminado. O adversário das quartas de final será o vencedor do confronto entre Atlético-MG e Racing. O primeiro jogo na Argentina acabou em empate por 0 a 0, e a decisão em Belo Horizonte acontece às 21h45. 

O técnico argentino Edgardo Bauza definiu na terça-feira o time titular que enfrentará o Toluca para segurar a vantagem obtida no Morumbi. Mais uma vez, Bauza adotará o que fez em La Paz, na Bolívia, contra o The Srongest: colocará Paulo Henrique Ganso no banco de reservas.

A ideia de tirar Ganso é dar maior solidez ao meio campo são-paulino quando o time não tiver a posse de bola. Assim como na Bolívia, o substituto será Wesley.

O período de preparação em Acapulco antes de viajar a Toluca terminou também com a dúvida se o zagueiro Maicon poderá jogar. Pelo segundo dia seguido, ele teve febre e não participou do treino. A escolha de Bauza para substitui-lo foi Lucão. Caso Maicon melhore até a tarde de quarta, deverá jogar.

Assim, o São Paulo terá em campo: Denis; Bruno, Lucão (Maicon), Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes e Wesley; Kelvin, Calleri e Michel Bastos. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos