Duelos inéditos, volta a Assunção e vinhos. A Libertadores para o Atlético

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Jorge Adorno/Reuters

    A taça da Libertadores com os grupos de 2017

    A taça da Libertadores com os grupos de 2017

O sorteio da Copa Libertadores 2017 reservou ao Atlético-MG, novamente cabeça de chave, um grupo não tão complicado. Libertad, do Paraguai, Godoy Cruz, da Argentina, e Sport Boys, da Bolívia, são os adversários do clube mineiro na fase de grupos do torneio. Sendo que dois desses duelos são inéditos para os atleticanos.

Godoy Cruz e Sport Boys jamais enfrentaram o Atlético. Já o Libertad foi derrotado pelo time mineiro uma vez, mas isso foi há quase 71 anos. Em janeiro de 1946, num amistoso disputado em Belo Horizonte, no antigo Estádio Antônio Carlos, onde hoje é shopping center, a equipe brasileira venceu por 2 a 0, com gols de Nívio e Xavier.

Com adversários pouco conhecidos pelos atleticanos, o UOL Esporte apresenta um pouco do que espera o Atlético no grupo 6 da Libertadores 2017 e algumas curiosidades dos confrontos que tem pela frente.

Retorno a Assunção após o título de 2013

Campeão da América em 2013, o Atlético passou por Assunção naquela campanha. Foi no Estádio Defensores Del Chaco que aconteceu a primeira partida da decisão, vencida pelo Olímpia. Após o jogo, aconteceu uma grande confusão entre as duas torcidas, enquanto alguns ônibus com atleticanos deixavam a capital paraguaia. Inclusive, um brasileiro acabou baleado na perna. Com o título do Atlético, no Mineirão, e mais confusão fora de campo, alguns torcedores do Olímpia aguardam o retorno dos mineiros a Assunção, para uma possível vingança.

Algo que esteve perto de acontecer, logo em 2014, quando o Atlético enfrentou o Nacional, na fase de grupos. Mas por uma questão financeira, a pequena equipe do Paraguai levou o jogo para Cidad Del Este, para atrair um público maior. Além do Defensores Del Chaco, o Libertad também manda jogos da Libertadores no Estádio Dr. Nicolás Leoz, que tem capacidade para pouco mais de dez mil torcedores.

Equipe do coração do antigo presidente da Conmebol, Nicolás Leoz, o Libertad viveu seus melhores momentos nos últimos anos, no que diz respeito ao desempenho internacional. Tanto que das 15 participações na Libertadores, 12 foram nas últimas 14 edições. Desde 2003, o Libertad não disputou o torneio em 2014 e 2016. A melhor participação foi em 2006, quando alcançou à semifinal, mas acabou eliminado para o Internacional, que se sagraria campeão em seguida. Na última participação, em 2015, o Libertad não passou da fase de grupos. Mas atualmente, o Libertad já não tem a mesma força de alguns anos, tanto que ficou fora de duas das últimas três Libertadores.

Cordilheira, vinhos e promessa de invasão atleticana

Vem de Mendonza um dos adversários do Atlético na próxima Libertadores. Embora tenha 95 anos de fundação, não é o Godoy Cruz o grande destaque da quarta maior cidade da Argentina. Os vinhos a e proximidade com as Cordilheiras dos Andes fazem de Mendonza um dos principais destinos turísticos do país vizinho. Distante mais de mil quilômetros da capital Buenos Aires, Mendonza certamente vai receber um grande número de atleticanos em 2017.

Uma das marcas da torcida do Atlético nas recentes participações na Libertadores é grande quantidade de torcedores que viajam o continente para acompanhar o time, especialmente em jogos em países mais próximos, como Argentina e Chile. Em 2013, mais de quatro mil atleticanos acompanharam a goleada sobre o Arsenal, de Sarandí. Como o jogo com o Godoy Cruz só vai acontecer a partir de março, com bastante tempo para planejar a viagem, a tendência é que um grande número de torcedores aproveite a chance para fazer turismo e torcer pelo Atlético.

A Libertadores 2017 vai ser a terceira na história do Godoy Cruz, que jamais passou da fase de grupos. Em 2011 e 2012, a equipe argentina não avançou no torneio. No acumulado, em 12 jogos, foram somente três vitórias. A equipe azul e branca manda seus jogos no Estádio Feliciano Gambarte, com capacidade para mais de 20 mil torcedores.

Boliviano caçula não conta com a altitude

A primeira coisa que se pensa quando um time boliviano cai no caminho de um brasileiro é na altitude. Jogar em La Paz, mais de 3 mil metros acima do mar, é o grande trunfo dos tradicionais Bolívar e The Strongest. Até mesmo clubes que jogam em cidades com quase 4 mil metros de altitude já disputaram a Libertadores, caso do Real Potosí, sempre muito mais temido pela altitude do que pela qualidade técnica. Mas esse não é o caso do Sport Boys.

Estreante na Libertadores, o jovem clube fundado em 2010 manda seus jogos em Warnes, cidade que fica apenas 340 metros acima do nível do mar. Localizada ao lado de Santa Cruz de la Sierra e distante de La Paz, Warnes não vai deixar os jogadores do Atlético sem fôlego. Sem altitude e também sem um grande time, o Sport Boys deve ser o adversário menos complicado do Atlético na próxima edição do torneio continental.

O Sport Boys conquistou vaga na Libertadores 2017 ao vencer o Torneio Apertura na Bolívia, na temporada passada, portanto em dezembro de 2015. Um ano depois, muita coisa mudou, tanto que a desconhecida equipe boliviana terminou o Apertura de 2016/2017 somente na oitava colocação, com 26 pontos, 23 atrás do campeão The Strongest e seis a mais do que o Guabirá, o último colocado entre 12 participantes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos