Sorteio da Libertadores tem promoção de última hora de Chape e erro com Fla

Rodrigo Mattos

Do UOL, em Luque (PAR)

  • Jorge Adorno/Reuters

O sorteio da Libertadores tornou-se confuso por uma mudança de regra de última hora e por um erro no procedimento. A Chapecoense foi promovida ao pote 2 por ser campeã da Copa Sul-Americana, medida aprovada na manhã desta quarta-feira pela Conmebol. Já o Flamengo foi colocado em no grupo 4 com a retirada do Jorge WIlstermann para evitar confrontos nacionais - isso poderia ser evitado se a Conmebol percebesse seu erro.

Inicialmente, pelo ranking, a Chapecoense deveria ir para o pote 4 do sorteio da Libertadores, e portanto poderia ficar sujeita a um grupo mais forte. A mudança de pote foi feita pelo Comitê Executivo da Conmebol, durante a quarta-feira. A confederação sul-americana só explicou depois do sorteio. O Sporting Cristal-PER acabou prejudicado pela mudança, mas não fez reclamações.
 
"Caso da Chapecoense foi utilizado o mesmo critério do Atlético Nacional. Como campeão da Libertadores, o campeão da Sul-Americana tem uma certa prerrogativa esportiva. A partir de agora porque o campeão da Sul-Americana participa diretamente da fase de grupo, e no anterior, participava da prévia", explicou o diretor de competições da Conmebol, Hugo Figueredo. 
 
A partir de agora, todos os campeões da Copa Sul-Americana terão esse direito. Segundo Figueredo, essa medida já estava sendo planejada pelo departamento técnico, mas precisava de aprovação do Comitê Executivo cujo encontro só ocorreu no dia do sorteio. Ele afirmou que não pesou na decisão o fato de o time catarinense ter enfrentado uma tragédia recente: "Foi critério esportivo."
 
"O trabalho que a gente fez precisava ser aprovado pelo Conselho Executivo", ressaltou. "Já estava sendo trabalho e estudado, não foi pela situação da Chapecoense."
 
Além disso, a diretoria do Flamengo percebeu uma falha da Conmebol no seu sorteio. Quando iria sortear o pote 3 para o grupo 4, o Flamengo deveria ser colocado imediatamente no grupo sem necessidade de rodar as bolinhas. Isso porque o time rubro-negro já não poderia ficar nos últimos quatro grupos, de 5 a 8, que tinham brasileiros. 
 
Ainda assim, a Conmebol sorteou o Jorge Wilsterman para essa colocação. Depois, notou e o deslocou, substituindo pelo Flamengo. "Nós já tínhamos notado que não dava para ficar em outro grupo", contou o diretor executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano.
 
A Conmebol explicou o fato por ter sido uma ocorrência excepcional. "Na verdade, a situação mais difícil de acontecer, aconteceu. Quando você planeja o sorteio, essa é uma das situações mais difíceis de acontecer", disse Hugo Figueredo, diretor da Conmebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos