Palmeiras define programação; Keno diz: 'Não tenho medo de apanhar'

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • José Edgar de Matos/UOL Esporte

    Keno quer o foco no Red Bull, mas já fala sobre a Libertadores

    Keno quer o foco no Red Bull, mas já fala sobre a Libertadores

Quarta-feira de cinzas, e o assunto no Palmeiras se direcionou para a Copa Libertadores da América. A uma semana da estreia contra o Atlético Tucumán, na Argentina, o atual campeão definiu a programação para o primeiro jogo na competição sul-americana: viagem na segunda-feira para o país vizinho e um treino na véspera do jogo em solo argentino.

Apesar do foco direcionar para o torneio mais importante da temporada, o Palmeiras ainda tem um compromisso pela frente. Na sexta-feira, a partir das 21h05 (de Brasília), a equipe alviverde encara o Red Bull, em Campinas, pelo Campeonato Paulista.

Embora seja difícil fugir do assunto Libertadores, o grupo trabalha para não perder o foco no Estadual. O atacante Keno, escolhido para falar na Academia de Futebol nesta quarta-feira, quer evitar qualquer distração em relação ao compromisso desta semana.

"Estamos focados no Red Bull Brasil. Vim assistindo os jogos do Tucumán; é um time rápido e agride muito pelos lados do campo. Quando passar o jogo do Paulista, temos que concentrar muito. É a minha segunda Libertadores, espero ajudar", afirmou o atacante palmeirense.

O Palmeiras tem até a próxima segunda-feira para definir o grupo dos 30 jogadores inscritos na competição. Com um elenco de 31 jogadores neste momento, a tendência é que Eduardo Baptista deixe apenas o quarto goleiro, o jovem Daniel Fuzato, fora da relação.

'Não tenho medo de apanhar', garante Keno

Apesar de pedir o foco para o Red Bull, Keno já falou sobre a competição continental nesta quarta-feira. Pela segunda vez na Libertadores – jogou em 2015 pelo Atlas, do México -, o atacante ex-Santa Cruz garante que não se intimida com o clima hostil muitas vezes encontrado fora de casa no torneio.

"Não tem que ter medo de zagueiro; em campo é 11 contra 11. Se ele me bater, vou para cima de novo. Estou acostumado a apanhar. Eu não apanho e me escondo. Apanho e vou para dentro sempre. Na Libertadores, todos querem ganhar. Eu não tenho medo, vou para dentro", disse.

"Na Libertadores, tomei umas porradas contra o Colo-Colo. Não era desleal; eles jogam firme. É o jeito deles jogarem. Libertadores é bem diferente, os argentinos chegam firmes e duros. A gente sabe que vai pegar isso pela frente", acrescentou Keno, já como uma previsão da estreia em San Miguel de Tucumán.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos