Adilson explica a escolha pelo Atlético: "quero meu primeiro grande título"

Thiago Fernandes e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação Atlético-MG

    Adilson já está regularizado, mas precisa melhorar a parte física para estrear pelo Atlético-MG

    Adilson já está regularizado, mas precisa melhorar a parte física para estrear pelo Atlético-MG

Foram cinco anos na Rússia, defendendo o Terek Grozny, e nenhuma conquista com o clube europeu. Antes de deixar o futebol brasileiro, Adilson atuou pelo Grêmio, clube pelo qual se tornou jogador profissional. Com a camisa tricolor, o volante conquistou dois Campeonatos Gaúchos, em 2007 e 2010. E é justamente isso que pesou a favor do Atlético-MG na hora de assinar o contrato que tem duração até fevereiro de 2019.

Adilson viu no Atlético a possibilidade de conquistar um grande título, algo que ele ainda não tem.

"Estava até conversando com o Roger, o Maluf (Eduardo, diretor de futebol) e o presidente (Daniel Nepomuceno). Na minha carreira eu não tenho um grande título ainda. O Atlético é minha melhor oportunidade, no meu melhor momento da carreira. Tenho a convicção de que tem tudo para acontecer aqui. A partir de o momento que assinei com o Atlético, fiz tudo para vir logo", disse o jogador de 30 anos, que tinha acertado um pré-contrato com o clube mineiro, mas conseguiu a liberação do Terek, para jogar a fase de grupos da Libertadores.

Aliás, o torneio continental é o grande sonho da torcida alvinegra e também de Adilson. O volante esteve perto de vencer a Libertadores, em 2009, quando o Grêmio chegou à semifinal, mas acabou eliminado pelo Cruzeiro. Em 2011, também pela equipe gaúcha, Adilson teve uma nova experiência na principal competição da América do Sul.

"O Atlético entra para ser campeão. Já teve essa experiência em 2013. O elenco é muito bom e o Roger é um treinador competente. O Atlético é candidato. Tem outras equipes fortes, mas o Atlético pode conseguir esse objetivo. Vou tentar fazer minha parte, até não atrapalhar, pois o elenco é muito bom".

A vontade de voltar ao futebol brasileiro cresceu nas últimas semanas. O pai de Adilson teve um problema de saúde, não revelado qual, o que fez o jogador antecipar a chegada na Cidade do Galo.

"Nós tínhamos uma situação com a vinda em maio ou junho. Mas meu pai teve um problema de saúde. Como tinha cinco anos fora para o país, senti a necessidade de ficar perto da família. Pude voltar a um grande clube aqui no Brasil. Vou estar próximo da família, que pode vir me visitar e passar um tempo comigo. A felicidade está completa".

Com contrato assinado, já apresentado à torcida e regularizado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, Adilson já tem um novo foco. Os próximos dias na Cidade do Galo vão ser de avaliações e muita dedicação, para que o jogador tenha condições de estrear assim que for possível.

"Meu foco é esse agora. Me preparar o mais rápido possível para poder ajudar logo".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos