Santos tem 8 dias para curar ressaca em busca de "objetivos maiores" no ano

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

Assimilar o golpe da queda precoce no Campeonato Paulista e focar nas próximas competições foi o discurso adotado pelo Santos após a eliminação nas quartas de final diante da Ponte Preta, nesta segunda-feira (10), no Pacaembu. Mesmo admitindo o abatimento pela pior campanha do clube desde 2008, jogadores e comissão técnica ressaltaram que o clube tem "objetivos maiores" nesta temporada e terão que curar a 'ressaca' nos oito dias sem jogos que terão pela frente.

Dorival Júnior e a equipe retornam a campo somente no próximo dia 19, data do confronto diante do Independiente Santa Fé-COL, fora de casa, pela terceira rodada da Copa Libertadores da América. São oito dias até o duelo, mas sete deles de preparação – o elenco folga nesta terça-feira.

A necessidade de uma reação psicológica foi levantada por parte do elenco depois da derrota nos pênaltis para a Ponte Preta. O lateral Victor Ferraz, por exemplo, acredita que a queda não terá tanto efeito pelo 'fator Libertadores', justamente a próxima competição a ser encarada pelo elenco.

"Eliminação dói de qualquer forma, é ruim de qualquer jeito. Perdemos, mas vou até falar assim: foi na competição que poderíamos perder. Quarta temporada e ganhei dois paulistas, sei que nossa torcida ama a Libertadores e quer ganhar coisa melhor", afirmou Victor Ferraz.

"Queríamos, não vou ser hipócrita e desmerecer a Ponte. Temos objetivos maiores, quem sabe não perdemos aqui para ganhar uma coisa mais importante", discursou o lateral direito.

A ideia de que a Libertadores surja como antídoto para o abatimento também fora ressaltada por Lucas Lima. Ainda no calor do jogo, na saída do gramado, o camisa 10 mostrou-se mais abatido pela queda precoce no Campeonato Paulista; pela primeira vez, desde 2009, o Santos não figura entre os finalistas.

"É duro, depois do jogo que fizemos, perder nos pênaltis assim machuca um pouco, mas creio que esse grupo ainda tem muito a conquistar no ano todo. É ver onde estamos errando para não errar mais, continuar trabalhando, temos Libertadores, Brasileiro", declarou o camisa 10, antes de também ponderar em relação ao abatimento do próprio grupo.

"Como eu falei, não pode achar que está tudo errado, mas tem que melhorar cada vez mais", disse.

Quem assume este papel de curar a 'ressaca' santista é Dorival Júnior. Prestigiado mais uma vez pelo presidente Modesto Roma Jr, o treinador admite que o cuidado psicológico com o grupo tomará grande parte da preparação para o compromisso pela Libertadores.

"Time não vai baixar a bola, e aqui já começamos recuperação da equipe. Vamos tentar antecipar nossa classificação na Libertadores. Não temos só uma equipe, e, sim, um elenco preparado. Tivemos derrotas, mas longe de serem derrotas que os adversários desenvolveram. Por isso estou tranquilo", disse Dorival, confiante para as próximas semanas.

"Vejo o Santos bem encaminhado. Com volume de jogo na maioria dos jogos. Durante toda a competição, Santos sempre teve a iniciativa dos jogos. Fez apresentações dentro de um padrão. Não se pode deixar de tentar jogar bem", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos