Grêmio mantém boa fase do ataque, mas terá 'puxão de orelha'

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jefferson Bernardes/AFP

    Miller Bolaños e Luan comandam ataque do Grêmio com média de 3,5 gol por jogo

    Miller Bolaños e Luan comandam ataque do Grêmio com média de 3,5 gol por jogo

A vitória diante do Deportes Iquique-CHI por 3 a 2, nessa terça-feira, pela Copa Libertadores, manteve a boa fase do ataque do Grêmio. Nas últimas quatro partidas com o time considerado titular, o Tricolor marcou 14 vezes. A média de 3,5 gols por jogo fez com que a reação do time chileno no segundo tempo, quando o Iquique marcou seus dois gols, não se transformasse em um revés, mas não evitará uma cobrança interna.

Renato Gaúcho e os dirigentes preparam um puxão de orelhas pela desatenção. Na cobrança, a ser feita em reunião com o elenco, até o Gre-Nal da primeira fase do Gauchão será citado.

"Foram dois jogos, no Gre-Nal por 10 ou 15 minutos. E hoje 45 minutos. Espero que pare por aí. Já teve um puxão de orelha e mais do que isso eu falo com o meu grupo. Eu e eles", disse Renato. "No momento logo após o final de jogo, os jogadores estão com a adrenalina muito alta e não é o momento de ter esse tipo de conversa para equacionar e tentar entender as coisas que aconteceram no jogo", completou Odorico Roman, vice de futebol.

14 gols em quatro jogos

O destaque sobre a boa fase do ataque é feito por conta do discurso do Grêmio, que viu uma evolução e mudança de patamar da equipe desde a goleada em cima do Juventude, em 25 de março. Naquele dia, o Tricolor fez 4 a 0 em casa.  

Nesta conta ainda aparecem as vitórias em cima do Veranópolis, pelas quartas de final do Campeonato Gaúcho: 2 a 0 fora de casa e 5 a 0 na Arena. E o recente triunfo, em cima do Iquique-CHI, por 3 a 2.

Desde então, a média de gols por jogo do Grêmio esteve sempre alta. Miller Bolaños, com quatro bolas na rede, é o grande destaque do período. Luan vem logo atrás. Léo Moura, Barrios, Michel e Edílson completam a lista de artilheiros da boa fase.

"O Grêmio tem jogado um belíssimo futebol. A gente criou, fizemos três gols e poderíamos ter matado o jogo. Aí veio o nana neném. Isso eu corrijo, é fácil. Já tivemos uma boa conversa no vestiário. O duro é corrigir quando não tem qualidade no time. O meu time tem feito muitos gols e não vou ficar aqui xingando meu time, meu grupo", disse o treinador.

O ataque em alta tem novo desafio no domingo, outra vez pelo Gauchão. De novo em casa, o Grêmio recebe o Novo Hamburgo na abertura da semifinal. Mesmo com a maratona de jogos, o Tricolor deve usar força máxima. Até para explorar bem o ataque efetivo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos