Palmeiras vira sobre o Peñarol com 2 de Willian e fica a um ponto da vaga

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • REUTERS/Andres Stapff

    Willian comemora: dois gols na virada palmeirense no Uruguai

    Willian comemora: dois gols na virada palmeirense no Uruguai

Bipolar, o Palmeiras saiu de Montevidéu fortalecido e praticamente classificado. Depois de sofrer uma desvantagem de dois gols em um primeiro tempo irreconhecível, o time comandado por Eduardo Baptista jogou conforme o esperado por torcida e opinião pública: atuação imponente na etapa final e triunfo por 3 a 2 sobre o Peñarol, em pleno Campeón Del Siglo. Willian (duas vezes) e Yerry Mina anotaram os gols alviverdes. Assista aos gols da partida.

O resultado conquistado no Uruguai deixou o Palmeiras confortável no grupo 5 da Copa Libertadores da América. Líder da chave com 10 pontos em quatro jogos, o atual campeão nacional precisa de apenas um ponto, nas duas rodadas finais, para avançar às oitavas de final da competição continental. O Peñarol caiu para a lanterna com apenas 3.

Os três pontos fundamentais para adiantar a classificação – além de importantes para sustentarem o trabalho de Eduardo Baptistas – vieram após uma mudança completa de panorama. Um primeiro tempo assustador, e um segundo em alto nível; este nível o esperado para o status de campeão nacional e time que mais investiu no ano.

A eliminação no Paulista, com o resultado desta quarta-feira, perde força com o resultado no Uruguai. Tanto que, agora confortável com a situação no grupo, Eduardo Baptista contará com uma semana de trabalho antes do próximo compromisso, contra o Jorge Wilstermann-BOL, na próxima quarta-feira, na Bolívia.

O Palmeiras, no entanto, pode até mesmo entrar classificado. Basta o Atlético Tucumán, na terça-feira (2), não vencer o Peñarol, que o time alviverde garante vaga nas oitavas de final com uma rodada de antecedência.

Quem foi bem: Willian

Autor de dois gols, o 'Bigode' deixou o Uruguai como o grande personagem palmeirense na partida. Opção para a segunda etapa, o camisa 29 encostou em Miguel Borja – isolado na primeira etapa – e aumentou o poder ofensivo palmeirense, quase nulo nos 45min iniciais. A cada jogo, o atleta se mostra mais importante para o time alviverde.

Quem foi mal: Guruceaga

O goleiro do Peñarol errou em pelo menos dois gols da equipe palmeirense. No gol de empate de Yerry Mina, Guruceaga viu o zagueiro colombiano cabecear dentro da própria pequena área. Já no segundo tento de Willian, o camisa 1 uruguaio rebateu o chute de Guerra próximo a Jean, que apenas cruzou para o 'Bigode' definir o resultado.

Amigo, estou aqui

Reprodução

A cena tão esperada pelos torcedores do Palmeiras ocorreu no momento do segundo gol de Willian, o da virada em Montevidéu. Depois de discutirem no último treinamento antes do jogo, Felipe Melo e Róger Guedes afastaram qualquer resquício de desavença diante de todo o público no Campeón Del Siglo. Os dois se abraçaram separadamente para comemorar a virada.

Vira, vira

Diante do Peñarol, o Palmeiras ratificou uma velha canção da torcida: 'o time da virada'. Nos dois compromissos contra o tradicional clube uruguaio, a equipe de Eduardo Baptista saiu de uma situação adversa para conquistar os três pontos. No Allianz Parque, os uruguaios fizeram 1 a 0 – o jogo acabou 3 a 2. Já nesta quarta, a desvantagem palmeirense chegou a dois gols.

Willian, o artilheiro

AP/Matilde Campodonico
Willian entrou no intervalo e marcou dois gols para o Palmeiras

Mesmo tratado como apenas uma opção a Miguel Borja, Willian tem se destacado pela eficiência no Palmeiras. Ninguém no recheado elenco de Eduardo Baptista marcou mais gols no ano. Com o belo lance em Montevidéu e o oportunismo na virada em Montevidéu, o Bigode chegou a oito tentos na temporada.

Eduardo erra em esquema com três zagueiros

Assim como em Tucumán, Eduardo Baptista inovou na formação palmeirense para o segundo jogo fora de casa pela Libertadores. Na Argentina, Thiago Santos e Felipe Melo, dois volantes de características mais defensivas, atuaram juntos. Já na noite desta quarta-feira, o treinador investiu em uma inédita formação com três zagueiros (Edu Dracena, Yerry Mina e Vitor Hugo). Não deu certo: o Palmeiras foi dominado, não afastou o perigo das bolas aéreas e sequer ameaçou o gol de Guruceaga.

Eduardo Baptista assumiu o erro?

AP/Matilde Campodonico
Eduardo Baptista mudou o Palmeiras no intervalo da partida

Eduardo Baptista atestou o erro estratégico ao abandonar a formação com três zagueiros logo no intervalo. O comandante tirou Vitor Hugo e recolocou Tchê Tchê no time para reforçar o meio-campo; ainda na volta dos vestiários, o atacante Willian entrou na vaga do lateral-esquerdo Egídio – os dois gols originaram-se no setor esquerdo da defesa. Com 4min de segunda etapa, o Bigode anotou um golaço e recolocou o Palmeiras no jogo.

Peñarol insiste nas bolas aéreas e é recompensado

Conforme o esperado por Eduardo Baptista, o Peñarol investiu ofensivamente em bolas aéreas. Mesmo com a presença do trio de zagueiros altos (Vitor Hugo, Mina e Edu Dracena), o Palmeiras sofreu com os cruzamentos e viu-se em desvantagem após duas jogadas oriundas das laterais. Logo aos 13min, Affonso superou a marcação de Mina e abriu o placar. Aos 38min, o lateral Petryk desviou e achou Junior Arias, que ampliou.

Bipolaridade

Se o Palmeiras se retraiu, sofreu e pouco produziu durante os primeiros 45min de partida, a segunda etapa da equipe de Eduardo Baptista merece elogios. Depois de Eduardo Baptista abandonar o planejamento com três zagueiros, o time brasileiro controlou a partida, acuou o Peñarol e tirou com tranquilidade a desvantagem de dois gols no placar. Nem o clima adverso no Campeón Del Siglo intimidou o campeão brasileiro.

Confusão
REUTERS/Andres Stapff

Após o jogo, os jogadores do Palmeiras e do Peñarol se desentenderam no gramado do estádio uruguaio. Felipe Melo chegou a ser encurralado pelos jogadores uruguaios, mas se defendeu e chegou a tentar dar um soco em um dos rivais. A confusão se generalizou e o Palmeiras teve dificuldades para entrar no vestiário. Entre os que apareceram feridos estavam Willian e Fernando Prass. Nas arquibancadas, torcedores do Peñarol também tentaram atacar os palmeirenses.

FICHA TÉCNICA
PEÑAROL-URU 2 x 3 PALMEIRAS

Local: Estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu, Uruguai
Data: quarta-feira, 26 de abril de 2017
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roddy Zambrano Olmedo (EQU)
Assistentes: Luis Vera e Juan Macías (EQU)
Cartões amarelos: Nandez e Alex Silva (PEÑAROL); Felipe Melo, Edu Dracena e MIguel Borja (PALMEIRAS)

Gols:
PEÑAROL: Affonso, aos 12, e Junior Arias, aos 39 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Willian, aos três, e Yerry Mina, aos 17, e Willian de novo aos 27 minutos da segunda etapa

PEÑAROL: Guruceaga; Petryk (Rossi), Quintana, Villalba e Hernández; Alex Silva (Ángel Rodríguez), Nandez, Novick (Dibble), Cristian Rodríguez; Junior Arias e Affonso
Técnico: Leonardo Ramos

PALMEIRAS: Fernando Prass; Yerry Mina, Edu Dracena e Vitor Hugo; Jean, Felipe Melo, Guerra e Egídio; Michel Bastos; Róger Guedes (Keno) e Miguel Borja
Técnico: Eduardo Baptista

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos