Presidente do Palmeiras vê julgamento "míope" e promete recurso em breve

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Andres Stapff

    Torcidas de Palmeiras e Peñarol entraram em conflito no Uruguai

    Torcidas de Palmeiras e Peñarol entraram em conflito no Uruguai

Presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte prometeu entrar com recurso ainda nesta semana depois das punições impostas pela Conmebol ao clube pela confusão na vitória sobre o Peñarol – Felipe Melo pegou seis jogos de gancho, e a torcida alviverde não poderá comparecer a três partidas como visitante. O dirigente classificou o julgamento como "míope" e prometeu agir.

"O Palmeiras entra com recurso ainda nessa semana. Não concordamos com absolutamente nada que foi julgado na Conmebol. Nem com a punição do Felipe, nem com a punição da torcida. Foi um julgamento míope, uma distorção da realidade", disparou Galiotte, em entrevista à Fox Sports.

"Fomos vítimas dentro e fora de campo. O que foi julgado está absolutamente fora dos nossos valores. Não entenderam as causas de tudo o que aconteceu no Uruguai. O Palmeiras em hipótese alguma aceita o que foi julgado na Conmebol", completou o dirigente.

No jogo em questão, válido pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores, o Peñarol abriu 2 a 0, mas perdeu por 3 a 2, mesmo jogando em casa, e não tem mais chances de se classificar para as oitavas de final. Ao fim da partida, os jogadores partiram para cima de Felipe Melo, que se defendeu. A confusão chegou também nas torcidas.

O Peñarol foi punido pela Conmebol com um jogo sem torcida e com multa de 150 mil dólares (aproximadamente R$ 496 mil) pelo incidente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos