Chapecoense alega "cerceamento de defesa" e volta a atacar a Conmebol

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, em Chapecó

  • AFP PHOTO / Eitan ABRAMOVICH

A briga entre e Chapecoense e Conmebol parece estar longe de ter uma solução. Eliminado na primeira fase da Libertadores após perder 3 pontos por ter escalado um jogador de forma irregular, segundo a entidade, o clube catarinense ainda aguarda a documentação necessária para protocolar a defesa junto ao Tribunal de Apelação, porém alega não ter recebido até o momento. 

Na semana passada, como apurou o UOL Esporte, a Conmebol havia enviado uma notificação ao clube catarinense, informando que iria enviar as razões do processo até o dia 9 de junho, o que não ocorreu.

A Chapecoense se defende por ter escalado o zagueiro Luiz Otávio na partida da quinta rodada da fase de grupos da Libertadores da América. A Chapecoense venceu por 2 a 1 a partida, mas perdeu os pontos, pois, segundo a Confederação Sul Americana de Futebol, o clube brasileiro havia sido informado da suspensão do jogador. Por sua vez, o clube alega não ter recebido o e-mail.

No primeiro julgamento, a Chapecoense foi punida com a perda dos pontos na partida, mas está com dificuldades para recorrer. Segundo o advogado Mario Bittencourt, a Conmebol está aplicando o "cerceamento de defesa", que é uma expressão do Direito Processual, civil ou penal e pressupõe um obstáculo que o juiz ou uma entidade (no caso Conmebol) opõe ao litigante para que pratique atos que lhe deem a guarida aos seus interesses no processo.

"Lamentável o que está acontecendo. Nosso direito de recorrer está sendo desrespeitado. Já mandamos duas comunicações oficiais cobrando as razões e não recebemos resposta. É lamentável o que estão fazendo com a Chapecoense", disse Bittencourt.

O sorteio das oitavas de finais da Libertadores está marcado para quarta-feira, assim como o sorteio da segunda fase da Copa Sul-Americana.

"Já que não obtivemos resposta, eu e Marcelo Amorety vamos dar entrada no recurso na quarta (14) e ver se eles ao menos se manifestam antes do sorteio, o que seria óbvio, completou Bittencourt.

Caso a Chapecoense não consiga reverter a punição no Tribunal da Conmebol, o clube, por ter ficado na terceira colocação no Grupo 7 da competição, participará da segunda fase da Copa Sul-Americana. Os advogados não descartam ir até a Corte Arbitral do Esporte (CAS) para tentar uma apelação.

O UOL Esporte tentou entrar em contato com o diretor de competições da Conmebol, Hugo Figueiredo, mas recebeu resposta sobre as alegações da Chapecoense até a publicação da matéria.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos