De Garibaldi ao boxe e xadrez. Quem é o rival argentino do Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Andres Larrovere/AFP Photo

    Time argentino foi fundado em 1921 e faz homenagem a seguidor de Giuseppe Garibaldi

    Time argentino foi fundado em 1921 e faz homenagem a seguidor de Giuseppe Garibaldi

O Godoy Cruz, adversário do Grêmio nas oitavas de final da Libertadores, carrega consigo homenagem a um italiano que ajudou a região de Mendoza, na Argentina, a se tornar o polo de produção de vinho e azeite. A ironia do destino é que Antonio Tomba foi seguidor de Giuseppe Garibaldi, ícone da cultura do Rio Grande do Sul por sua participação na Revolução Farroupilha. E ambos morreram longe de onde duelarão os clubes.

A primeira partida entre Godoy Cruz e Grêmio acontece nesta terça-feira (4), às 19h15 (Brasília), no estádio Mundialista, em Mendoza. O jogo de volta está marcado para 9 de agosto, em Porto Alegre.

Antonio Tomba nasceu em Valdagno, norte da Itália, mas virou empresário de renome na Argentina.

Domínio público
Giuseppe Garibaldi participou da Revolução Farroupilha

Antes de pisar na América do Sul, ele foi voluntário na milícia de Giuseppe Garibaldi. O guerrilheiro já havia passado pelo Brasil e Uruguai e vivia na Itália logo após formar a Legião Italiana. O grupo tinha a missão de combater o domínio austríaco em parte do atual território italiano. O 'herói de dois mundos' cruzou com Tomba em junho de 1866.

Aos 17 anos, Antonio tinha acabado de deixar o emprego de jornaleiro e se alistou como voluntário para as batalhas contra o domínio de Habsburgo. Além de lutar pela retomada da região de Vêneto, Tomba seguiu as ordens de Garibaldi na expedição batizada como 'Conquista de Roma', no ano seguinte. Nessa campanha, ele ganhou a companhia do irmão Francesco. A dupla se separou do restante dos voluntários em outubro de 1967.

De acordo com o livro "Antonio Tomba, Um Imigrante Italiano que Conquistou a América", a jornada como soldado, entre idas e vindas, durou três anos. A publicação remonta a vida do imigrante e detalha as experiências de batalha. Apenas em 1869 ele retornou para casa e foi convencido pela família a seguir uma vida longe das batalhas.

Aos 26 anos, Antonio Tomba chegou à Argentina e somente depois de uma década pisou em Belgrano, departamento que atualmente se chama Godoy Cruz. Lá, se casou com a filha de um figurão local e, com o sobrenome e as posses, emplacou uma vinícola que rapidamente cresceu. O negócio catapultou a localidade e o imigrante virou 'Don Antonio'.

Reprodução/Site oficial Godoy Cruz
Vinícola de Antonio Tomba ajudou a mudar a região de Mendoza

Em 1899, ele iniciou viagem de volta à terra natal, mas faleceu durante a travessia do oceano. Na terra onde mudou tudo, pelo vinho e azeite, ganhou homenagem através do 'Club de los Obreros de la Bodega'. Essa associação, anos depois, foi parte da fusão que levou ao Godoy Cruz atual.

Fundado em 1921, o Godoy Cruz nasceu como um clube esportivo com várias modalidades. Entre elas a ginástica, boxe e xadrez. O futebol era o carro chefe e ganhou mais fôlego nove anos depois, com a fusão. De lá para cá, o clube ganhou mais peso no cenário nacional.

A Libertadores 2017 é a terceira na história da equipe. A boa campanha dentro do futebol argentino já teve reflexos. O goleiro Rodrigo Rey está acertado com o PAOK, da Grécia, e fará a despedida diante do Grêmio. O meia Gimenez interessa ao Vélez Sarsfield e também deve sair.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos