Atuação decepcionante e gol de bicicleta. Atlético-MG perde na Bolívia

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Aidar Raldes/AFP

    Bergese divide bola com Fred em Jorge Wilstermann x Atlético-MG pela Libertadores

    Bergese divide bola com Fred em Jorge Wilstermann x Atlético-MG pela Libertadores

Foram quase dois meses de espera entre o final da primeira fase e o início das oitavas de final da Copa Libertadores. Depois de tanto tempo e muita expectativa criada, o Atlético-MG teve uma atuação decepcionante diante do Jorge Wilstermann. Jogando no Estádio Félix Capriles, em Cochabamba, na Bolívia, o time mineiro perdeu por 1 a 0. O atacante Álvarez marcou de bicicleta o único gol da partida.

Assista ao gol da derrota do Atlético-MG

Com o resultado, apenas uma vitória por dois ou mais gols de diferença é suficiente para o Atlético avançar às quartas de final da Libertadores. Vencer por 1 a 0 leva a decisão da vaga para os pênaltis. A partida de volta está marcada para o dia 9 de agosto, no Independência, em Belo Horizonte.

Ex-Série C dá calor na defesa atleticana

O dono da camisa 10 do Jorge Wilstermann é o brasileiro Serginho, que fazia sua estreia na Libertadores. Até pouco tempo atrás o meia-atacante estava disputando a Série C do Campeonato Brasileiro com o Botafogo-SP e sequer era titular da equipe de Ribeirão Preto. Mesmo assim, Serginho deu muito trabalho aos defensores atleticanos. As principais jogadas de ataque do Jorge Wilstermann passavam pelos pés do camisa 10.

Pior em campo, Robinho joga apenas 45 minutos

Aizar Raldes/AFP
Muito mal no jogo, Robinho atuou por apenas 45 minutos na Bolívia

Certamente a partida contra o Jorge Wilstermann é uma das piores de Robinho com a camisa do Atlético. O atacante errou praticamente tudo o que tentou na partida disputada na Bolívia. Dificuldade para dominar a bola, passes errados e faltas cometidas. Quase nada deu certo para Robinho, que apareceu bem apenas aos 20 minutos, quando conseguiu driblar o zagueiro Zenteno, mas chutou para fora. Muito mal no jogo, o camisa 7 ficou em campo por apenas 45 minutos, dando lugar para Valdívia, que voltou com o time após o intervalo.

Mas Alex Silva não ficou muito atrás

Não foi apenas Robinho que jogou mal na Bolívia. Outros atleticanos pouco renderam. No segundo tempo, sem o camisa 7, Alex Silva ficou com o posto de pior jogador do Atlético contra o Jorge Wilstermann. Com atuações regulares desde que voltou à Cidade do Galo, após o empréstimo ao América-MG, o lateral direito errou bastante no jogo disputado em Cochabamba.

Victor chega a 40 jogos de Libertadores pelo Galo

Jogador que mais defendeu o Atlético-MG na história da Copa Libertadores, Victor chegou a 40 jogos com a camisa alvinegra em jogos da principal competição de clubes na América do Sul. É quinta Libertadores consecutiva do Galo e Victor disputou todas. Diante do Jorge Wilstermann, o clube mineiro atingiu a marca de 80 partidas somando as nove edições que esteve presente.

Gol de bicicleta após vacilo geral do time

Aizar Raldes/AFP
Jogadores do Jorge Wilstermann comemoram gol de Álvarez contra o Atlético-MG pela Libertadores

Os primeiros minutos de jogo não foram de sufoco para o Atlético. Mas com o passar do tempo, sem o ataque conseguir segurar a bola, o Jorge Wilstermann conseguiu ficar mais tempo perto da área defendida pela defesa alvinegra. Até que aos 40 minutos um apagão geral do time permitiu que Bergese finalizasse na frente de Victor. Gabriel ainda conseguiu evitar o gol, mas no rebote, dentro da pequena área, Álvarez marcou de bicicleta.

Jorge Wilstermann reclama de pênalti não marcado

E o resultado poderia ter sido ainda pior para o Atlético na Bolívia. Aos oito minutos do segundo tempo, o meia-atacante Serginho entrou na área cruzou a bola, que bateu no braço de Alex Silva. Na interpretação do árbitro Daniel Fedorczuk o lance foi normal. Apesar de muita reclamação dos jogadores da equipe boliviana, o juiz uruguaio marcou escanteio.

Mais posse de bola e pouca criação

Aizar Raldes/AFP
Rafael Carioca voltou ao time após cumprir suspensão no clássico com o Cruzeiro

Com as mudanças feitas por Roger, especialmente as entradas de Valdívia e Otero, nos lugares de Robinho e Elias, respectivamente, o Atlético passou a ficar mais tempo com a bola. No primeiro tempo, como comparação, o Jorge Wilstermann teve 59% de posse de bola. Porém, pouco o Atlético conseguiu criar. Tanto que a chance mais clara de gol foi um cruzamento de longe, de Alex Silva, e que Rafael Moura cabeceou a bola na trave. No fim, o Galo terminou com 47% de posse, contra 53% do time mandante.

FICHA TÉCNICA
JORGE WILSTERMANN 1 X 0 ATLÉTICO-MG

Data: 05 de julho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Motivo: Oitavas de final da Copa Libertadores
Local: Félix Capriles, em Cochabamba (Bolívia)
Público: Não divulgado
Renda: Não divulgada
Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai)
Assistentes: Richard Trinidad e Carlos Pastorino (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Zenteno (JWL) Yago e Fred (CAM)
Gol: Gilbert Álvarez aos 40 minutos do primeiro tempo

JORGE WILSTERMANN
Raúl Olivares, Omar Morales, Alex Silva, Edward Zenteno e Juan Pablo Aponte; Marcelo Bergese (Carlinhos, aos 44 do 2º), Fernando Saucedo, Cristhian Machado, Serginho (Ortiz, aos 23 do 2º) e Rudy Cardozo; Gilbert Álvarez (Pedriel, aos 34 do 2º).
Treinador: Roberto Mosquera.

ATLÉTICO-MG
Victor, Alex Silva, Bremer, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago, Elias (Otero, aos 17 do 2º) e Cazares; Robinho (Valdívia, no intervalo) e Fred (Rafael Moura, aos 29 do 2º).
Treinador: Roger Machado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos