Preços atrapalham, mas evento no Allianz sela paz entre Palmeiras e WTorre

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Danilo Lavieri/UOL

    Guerra estampou o telão enquanto a bola não rolava no Equador

    Guerra estampou o telão enquanto a bola não rolava no Equador

Ficou longe de ser um evento com a arquibancada cheia, mas a transmissão do jogo entre Palmeiras e Barcelona-EQU, em um telão no Allianz Parque, serviu como sinal de que a relação entre clube e WTorre vive seu melhor momento desde a inauguração da arena, em 2014.

Marcada por brigas na arbitragem e discussões via imprensa na antiga gestão palmeirense, quando Paulo Nobre se recusava até a pronunciar o nome da construtora, a convivência entre as duas partes melhorou bastante desde a chegada de Maurício Galiotte à presidência alviverde. Na noite da última quarta, em uma festa organizada conjuntamente, a aproximação teve seu ponto alto, ainda as duas partes sigam discutindo alguns itens do contrato na Justiça.

Apesar da paz, o evento ficou longe de ser um sucesso. Com ingressos com preços exacerbados - entre R$ 70 e R$ 250 - o Allianz recebeu menos de 2 mil pessoas em uma contagem extraoficial. Para evitar que o fracasso fosse ainda maior, inclusive, o clube lançou uma promoção de última hora e permitiu que quem comprasse um ingresso levasse um acompanhante de graça.

O clube não quis divulgar a carga de ingressos, tampouco o número de entradas que foram vendidas. Haverá divisão dos lucros entre clube e construtora e a ideia é que o evento possa voltar a acontecer em jogos decisivos disputados longe de São Paulo.

O atrativo ficou por conta da venda de cerveja. Uma lata de 350 ml de Amstel foi vendida a R$ 8 e foi sucesso absoluto. Era difícil ver algum torcedor que não portasse seu copo da bebida que é proibida na arena em dias de jogos. 

O comportamento da torcida foi parecido com um dia normal nas arquibancadas, com fanáticos xingando o juiz, reclamando de jogadas específicas e até da substituição de Dudu no segundo tempo. Os palmeirenses ainda não perdoavam os comentários de Carlos Eugênio Simon. O ex-árbitro é comentarista da Fox, emissora escolhida pelo time para estar no telão. 

O Allianz Parque também se uniu para comemorar a virada parcial do Palestino em cima do Flamengo, mas reclamou quando a transmissão foi interrompida para mostrar os gols da vitória da equipe brasileira.

O evento ainda contou com a presença de diversos sócios e conselheiros e teve a participação especial de César Sampaio e Evair, que responderam perguntas, tiraram fotos, deram autógrafos e sortearam uma camisa do Palmeiras. O mediador era o Marcos Costi, locutor do Allianz em dias de jogos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos