Atlético-MG falha, não faz gol e é eliminado por bolivianos na Libertadores

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • REUTERS/Cristiane Mattos

    Fred lamenta chance perdida no jogo do Galo contra o Jorge Wilstermann, na Libertadores

    Fred lamenta chance perdida no jogo do Galo contra o Jorge Wilstermann, na Libertadores

Decepção. Vexame. Tristeza. Lamentação. Revolta. São várias as palavras que podem traduzir o sentimento do torcedor do Atlético-MG na noite desta quarta-feira. Com o empate em 0 a 0 com o Jorge Wilstermann, no Mineirão, o time mineiro está eliminado da Copa Libertadores.  Um resultado que foi apenas do que vem sendo feito na Cidade do Galo em 2017. Assista aos melhores momentos da eliminação do Galo.

Como havia perdido por 1 a 0, na ida, em Cochabamba, o Galo precisava vencer por dois gols de diferença para se classificar. Fazer um gol já era suficiente para levar a decisão para a disputa de pênaltis. Mas nem isso o Atlético conseguiu e, em 2017, vai acumulando decepções, vexames, tristes, lamentações e revoltas.

Defesa do Jorge Wilstermann para ataque do Galo

A dedicação e a entrega dos jogadores bolivianos fizeram a diferença na soma dos dois confrontos entre Atlético e Jorge Wilstermann. Cientes da limitação técnica diante de uma das equipes mais caras da América do Sul, os bolivianos conseguiram fazer uma vantagem no primeiro jogo, em casa, e jogaram completamente na defesa no Mineirão. O resultado foi um time muito limitado, mas que soube se defender e mesmo jogando mais de 90 minutos completamente na defesa, poucas chances deu ao time rival.

Arbitragem erra em lance capital

Aos 33 minutos o Atlético até conseguiu fazer o gol que precisa, para pelo menos levar a decisão para os pênaltis. Fred recebeu lançamento na área, dominou sozinho e bateu na saída do goleiro. Porém, o auxiliar Carlos Lopez, da Venezuela, assinalou impedimento, confirmado pelo árbitro Jose Argote. No entanto, a condição de Fred era legal, como mostrou a transmissão da televisão.

Fred vai no sacrifício e pouco consegue ajudar

AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO
Fred carrega a bola na partida do Atlético-MG contra o Jorge Wilstermann, na Libertadores

Sem jogar desde o dia 23 de julho, quando sofreu uma lesão na panturrilha direita, o centroavante Fred foi para o sacrifício e começou como titular o duelo com o Jorge Wilstermann. Com movimentos bastante limitado e pouca movimentação, o camisa 9 do Galo participou pouco do jogo. Nas poucas vezes que conseguiu dominar a bola, até marcou um gol, anulado de forma errada pela arbitragem.

Muitos cruzamentos e uma finalização certa no 1º tempo

Como era esperado, o Atlético ficou a maior parte do tempo com o domínio da bola. Mas ter o controle do jogo nem sempre representa criar muitas chances. Foi o Atlético na etapa inicial contra o Jorge Wilstermann. Após o encerramento do primeiro período, o Galo tinha 63% de posse de bola e apenas uma finalização no rumo do gol. Como aconteceu em ocasiões anteriores, a equipe apelou para os cruzamentos. Foram 14 somente no primeiro tempo, sendo apenas um certo.

Cera antes dos 15 minutos de jogo

Com vantagem pelo resultado do jogo de ida, tudo o que o Jorge Wilstermann não queria no Mineirão era bola rolando. Em toda a oportunidade possível, a equipe boliviana fazia cera. Isso antes mesmo dos 15 minutos do primeiro tempo. O goleiro Raúl Olivares, por exemplo, chegou a demorar mais de 30 segundos para cobrar três tiros de meta. Postura que mudou apenas após o puxão de orelha do árbitro venezuelano Jose Argote. Porém, o juiz mostrou que a cera compensou, ao dar apenas dois minutos de acréscimos na etapa inicial.

Luan vai ao limite e deixa jogo com câimbras

AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO
Luan tenta o ataque pelo Atlético-MG contra o Jorge Wilstermann na Libertadores

O trabalho da comissão técnica do Atlético foi preparar Luan para o jogo com o Jorge Wilstermann. Por isso, o camisa 27 ficou fora dos últimos jogos do time. Opção para fazer a dupla de ataque com Fred, Luan mostrou a raça de sempre, sua principal característica. Lutou por cada bola e por muito pouco não fez um gol, em duas oportunidades, uma em cada tempo. Na segunda tentativa, a bola bateu no travessão antes de sair. Aos 17 da etapa final, com câimbras, Luan deixou o jogo para a entrada de Robinho.

River Plate no caminho do Jorge Wilstermann

Após eliminar o campeão da Libertadores de 2013, o Jorge Wilstermann vai ter no caminho outra equipe que venceu a competição recentemente. Vencedor em 2015, River Plate é o adversário do time boliviano. O primeiro jogo está marcado para 13 de setembro, na Bolívia. A volta vai ser no dia 20 do mês que vem, em Buenos Aires.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 0 x 0 JORGE WILSTERMANN

Data: 9 de agosto de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Motivo: Oitavas de final da Copa Libertadores
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 36.018 presentes
Renda: R$ 955.610,00
Árbitro: Jose Argote (VEN)
Assistentes: Carlos Lopez (VEN) e Luis Murillo (VEN)
Cartões amarelos: Marcos Rocha (CAM) Fernando Saucedo (JWL)

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Adilson (Valdívia, no intervalo) e Cazares; Luan (Robinho, aos 17 do 2º) e Fred.
Técnico: Rogério Micale.

JORGE WILSTERMANN
Raúl Olivares, Omar Morales (Rudy Cardoso, no intervalo), Alex Silva, Edward Zenteno e Juan Pablo Aponte; Marcelo Bergese (Cristian Chávez, aos 17 do 2º), Fernando Saucedo, Cristhian Machado, Serginho e Jorge Ortiz; Gilbert Álvarez (Pedriel, aos 30 do 2º).
Técnico: Roberto Mosquera.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos