R$ 100 mi, volta de Cuca e BR de lado: o valor da Libertadores no Palmeiras

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Palmeiras não se importou em gastar quase R$ 20 milhões para trazer Deyverson

    Palmeiras não se importou em gastar quase R$ 20 milhões para trazer Deyverson

Tão logo se sagrou campeão do Brasileirão em 2016, o Palmeiras começou a planejar o seu próximo passo: ser bicampeão da América do Sul. E para conseguir tal feito o clube não poupou esforços.

Embora a diretoria tente tratar o jogo das 21h45 desta quarta-feira, contra o Barcelona-EQU, como importante, mas não fundamental, a torcida nutre grandes expectativas de que o clube consiga o terceiro título em três anos. E sabe que a Libertadores é a maior chance disso.

O primeiro passo foi contar com o aval da patrocinadora para a formação de um time milionário. Foram R$ 35 milhões em Borja, mais de R$ 10 milhões em Guerra, mais R$ 10 milhões em Luan e outros investimentos pontuais para garantir a permanência de peças importantes, como Dudu por exemplo.

A maior decepção do pacote foi Borja. Percebendo isso a tempo, o clube não esperou para reagir e gastou mais R$ 20 milhões para contratar Deyverson. No total, mais de R$ 100 milhões foram investidos.

Além do dinheiro, a diretoria também foi agressiva na hora de mudar os rumos de sua equipe. Mesmo com mais de 60% de aproveitamento, Eduardo Baptista foi demitido por não conseguir fazer o futebol apresentado evoluir e Cuca foi recontratado.

Com os mesmos salários de sua primeira passagem, mas com premiações maiores, o técnico voltou com pompa, mas demorou a engrenar. Conseguiu recentemente engatar uma sequência de cinco jogos sem perder e mostrou que está um pouco mais satisfeito com sua equipe em relação ao que estava há um mês, por exemplo.

O técnico, aliás, teve o aval para escalar equipe mista em jogos do Nacional e até reservas, como foi no caso da derrota por 1 a 0 na última rodada diante do Atlético-PR. O objetivo dele sempre foi estar entre os primeiros do Brasileirão, mas com prioridade para os torneios de mata-mata. Como o time foi eliminado na Copa do Brasil, a Libertadores é a última chance para que a meta de título seja alcançada.

Dentro de campo, Cuca encontrou em Luan o parceiro para Mina e enfrentou as arquibancadas para bancar Egídio na esquerda. Além disso, resolveu deixar um dos pilares de 2016 no banco: Tchê Tchê perdeu a vaga para Bruno Henrique.

A decisão mais reverberada foi, sem dúvida, o afastamento de Felipe Melo. Em seu lugar dentro de campo, o escolhido foi Thiago Santos. Deyverson, que foi contratado às pressas, também chegou para ser titular e comandará o ataque ao lado de Dudu e Guedes.

Mais de 40 mil pessoas estarão no Allianz Parque. A organizada já prometeu uma festa no melhor estilo do antigo Palestra Itália. O que acontecer nesta quarta-feira afetará diretamente o dia a dia do clube, embora a diretoria tente minimizar isso. Não é à toa que a expressão "jogo da vida" e a data "9 de agosto" fizeram parte do vocabulário alviverde nos últimos dias.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X BARCELONA-EQU

Data:
9 de agosto, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)

PALMEIRAS: Jaílson; Mayke, Luan, Mina e Egídio; Bruno Henrique, Thiago Santos e Guerra; Dudu, Róger Guedes e Deyverson
Técnico: Cuca

BARCELONA-EQU: Banguera; Valencia, Aimar, Arreaga e Velasco; Minda, Oyola e Díaz; Castillo, Caicedo e Álvez
Técnico: Guillermo Almada

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos