Moisés defende Egídio e Deyverson de xingamentos: "Foram muito homens"

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

Moisés voltou a dar entrevistas para defender seus companheiros de clube no Palmeiras. O volante repetiu a proteção feita a Egídio já na noite da última quarta-feira e ainda adicionou elogios a atitude de Deyverson.

O atacante teve a rede social invadida por xingamentos depois de Caio Ribeiro comentar um possível "não" ao pedido de Cuca para bater um dos pênaltis contra o Barcelona-EQU, pelas oitavas de final da Libertadores.

"Eu até vi a imagem e não sei se ele negou. O Cuca perguntou como ele estava e disse que tinha dores. Eu prefiro que o jogador seja honesto e diga o que realmente sente. Se ele não se sentia bem, ele foi homem para caramba porque assumiu. É melhor falar do que ir com medo e não fazer o melhor. Ele ao menos abriu a chance para outro. E ontem a gente teve até nisso a infelicidade de os quatro batedores oficiais não estarem em campo. Jean, Dudu, Roger Guedes e Borja", afirmou.

"E eu também pedi para pararem de xingar o Egídio porque ele fez um grande jogo. Entendo que foi um dos melhores dele com a camisa do Palmeiras e as circunstâncias levaram ele a bater o pênalti. E ele nem estava entre os cinco que bateriam, porque a ideia era fechar comigo. Mas aí foi para as alternadas. O Egídio foi homem para caramba, teve coragem e personalidade para bater. Mas o goleiro foi feliz. Não tem Egídio vilão ou Moisés herói", completou.

Moisés ainda completou a entrevista afirmando que inicialmente não bateria os pênaltis por causa das dores no joelho, mas que o gol e o momento de confiança fizeram o camisa 10 aceitar o convite de Cuca.

Ainda no aspecto pessoal, apesar da eliminação, o atleta disse ter vivido uma noite especial. "Sempre sonhei em jogar Libertadores, até por isso não vai deixar de ser especial. Não terminou da maneira que esperava, mas vai fazer parte da minha história".

Por fim, o meia disse que não é hora de caçar culpados e não entregou os pontos no Campeonato Brasileiro, embora admita que a distância é muito grande. Atualmente, são 15 pontos entre o Palmeiras, o 4º colocado, e o líder Corinthians.

"A gente sabe que está muito atrás do líder e é de parabenizar isso. Mas ninguém tem a garantia de que eles vão ser regulares como foram no primeiro turno. Vamos fazer o máximo de pontos possíveis. O campeonato do Palmeiras é contra ele mesmo. Precisamos melhorar a cada dia e conquistar o máximo de pontos. No final a gente vê o que vai acontecer", finalizou.

Moisés será poupado no domingo, na 20ª rodada do Brasileirão e não enfrentará o Vasco. O Palmeiras ainda terá os desfalques de Mina e Dudu e possivelmente não contará com Jaílson.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos