A matemática de líder que o Atlético precisa para cumprir com a "obrigação"

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO

    Cazares lamenta chance perdida no jogo do Atlético-MG contra o Jorge Wilstermann

    Cazares lamenta chance perdida no jogo do Atlético-MG contra o Jorge Wilstermann

Disputar a Copa Libertadores de 2018 é obrigação para o Atlético-MG, diz o presidente Daniel Nepomuceno. Para atingir a meta traçada pelo mandatário, o time precisa de uma campanha muito melhor do segundo turno do Campeonato Brasileiro do que fez na primeira parte da competição. Com 23 pontos, o Galo precisa chegar na casa dos 60 pontos para terminar entre os seis melhores do Brasileirão.

Assista aos melhores momentos da eliminação do Galo.

Isso significa dizer que o Galo precisa somar 65% dos pontos que disputar neste segundo turno do Campeonato Brasileiro. Como comparação, o Santos, que terminou a turno com a terceira melhor campanha, conquistou 35 pontos, com 61% de aproveitamento. Portanto, uma missão que não vai ser das mais fáceis.

"Temos um segundo turno pela frente, temos que brigar lá em cima. Começar a ganhar jogo dentro e fora de casa para amenizar os erros desse ano", disse o volante Rafael Carioca, confiante na recuperação do Galo nesta temporada.

Eliminado na Libertadores, nessa quarta-feira, com o empate sem gols com o Jorge Wilstermann, no Mineirão, o Atlético só tem o Campeonato Brasileiro para chegar à Libertadores pela sexta vez consecutiva. Outra alternativa seria a Copa do Brasil, mas a equipe mineira também foi eliminada, pelo Botafogo, nas quartas de final.

"Falta um turno do campeonato, vamos buscar isso (vaga na Libertadores). Fizemos um bom jogo, equilibramos o tempo todo, a bola atravessava, batia na trave, o goleiro defendia. Agora é levantar a cabeça. A gente tem que erguer o mais rápido possível", disse o zagueiro Gabriel.

Todavia, o Atlético pode terminar o Brasileiro dentro do G6 e sem precisar chegar aos 60 pontos. Desde que as equipes que brigam por vaga na Libertadores se mantenham com o desempenho atual. Dono da sexta colocação, o Sport tem 49% de aproveitamento. Caso se mantenha assim até o fim do Brasileirão, a equipe pernambucana terminaria a competição com 56 pontos. Portanto, chegar aos 57 já seria o suficiente para superar o aproveitamento atual do sexto colocado. Isso tudo num cenário muito positivo para o Galo.

Existe também a possibilidade de qualquer time disputar a próxima Libertadores sem ficar no G6. Vai depender do rendimento das demais equipes nas Copas. Dependendo das equipes que forem campeãs da Copa do Brasil, da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana, o Brasileirão pode ver o G6 se transformar em G9.

Probabilidade de G6 é inferior a 9%

Contar com o desempenho do Grêmio ou Santos na Copa Libertadores. Do Flamengo na Copa do Brasil ou na Copa Sul-Americana e também do Corinthians no torneio internacional pode ser determinante para para o Atlético disputar a Libertadores do ano que vem. Pelo momento atual do time e da classificação do Campeonato Brasileiro, o clube mineiro tem apenas 8,8% de chances de terminar dentro do G6, de acordo com o departamento de matemática da Universidade Federa de Minas Gerais (UFMG).

Após o primeiro turno do Brasileirão, o Atlético tem mais chances de cair do que de se classificar para a Libertadores. A distância é menor para a zona do rebaixamento do que para o G6. São cinco pontos atrás do Sport, o sexto colocado, e apenas quatro a mais do que o São Paulo, que ocupa a 17ª colocação. Se a probabilidade de classificação para a Libertadores é menor do que 9%, a possibilidade de queda do clube mineiro é de 22,%, de acordo com o departamento de matemática da UFMG.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos