Grêmio sofre com baixas e tem quebra-cabeça para montar o time

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

    Arthur é uma das peças no tabuleiro de montagem do meio-campo do Grêmio

    Arthur é uma das peças no tabuleiro de montagem do meio-campo do Grêmio

O meio-campo é um dos setores mais decisivos em um time de futebol e no Grêmio não é diferente. Ao longo da temporada, o Tricolor teve peças de sobra para fazer a diferença desde o apito inicial ou no decorrer de um jogo. Diante do Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores, o cenário mudou. Com pelo menos cinco desfalques, a solução virou problema.

Maicon, Miller Bolaños, Lincoln, Pedro Rocha e Michel são as baixas certas. O número pode aumentar se Luan, peça-chave no jogo do Tricolor, não se recuperar de edema na coxa.

Com tantos jogadores fora de combate, pelos mais diversos motivos – de lesão à suspensão, Renato Gaúcho tem um verdadeiro quebra-cabeça para escalar o meio-campo. E mais: perde alternativas para o decorrer do confronto no Engenhão.

A primeira dúvida é sobre o substituto de Michel, expulso diante do Godoy Cruz-ARG. As opções são recuar Ramiro ou apostar em Jailson – que já foi terceiro reserva no ano.

Se Ramiro for recuado, o setor cai em um efeito dominó e o lado direito terá de ser preenchido. Para essa vaga os candidatos são Everton e Fernandinho, que nas últimas duas partidas começou no outro flanco do campo. Outra alternativa é Léo Moura.

O experiente lateral também é um dos nomes mais fortes para suprir a ausência de Luan. O camisa 7 ainda não voltou a treinar com bola, segue em tratamento intensivo por conta de edema na coxa direita e deve continuar como dúvida até o jogo com o Botafogo.

Sem Luan, o Grêmio perde em criatividade e técnica no setor. Renato Portaluppi já falou abertamente que o meia-atacante é o único jogador do elenco sem um substituto. As saídas de Miller Bolaños e Lincoln, por empréstimo, afetaram ainda essa situação.

Caso seja preciso jogar com uma formação sem Luan, outra formação possível é com Arthur mais avançado. O camisa 29, grande novidade do time na temporada, já foi definido pelo treinador como um meia nato – por conta da boa visão de jogo e passe qualificado. Só que as atuações do jovem nessa função não foram tão boas como nas vezes em que foi volante.

"Temos grandes jogadores como dúvida, outros fora. A gente sabe que temos um grupo e todos estão preparados. Todos querem jogar. Temos que abraçar os caras e saber que quem entra, dá conta do recado. É buscar dar o máximo sempre", contemporizou Barrios.

Botafogo e Grêmio abrem o duelo que vale vaga na semifinal da Libertadores nesta quarta-feira, às 21h45 (Brasília). O segundo jogo entre os times está marcado para 20 de setembro, em Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos