Renato volta a final após nove anos e encara fantasma de vice para LDU

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Diego Vara/Reuters

    Fluminense treinado por Renato perdeu para a LDU nos pênaltis, em 2008

    Fluminense treinado por Renato perdeu para a LDU nos pênaltis, em 2008

Jogar a final da Libertadores deixa Renato Gaúcho ansioso. Insone. E quando ele fecha os olhos, precisa driblar as lembranças de 2008. Nove anos atrás, o Fluminense treinado por ele perdeu o título para a LDU, do Equador, nos pênaltis. E aquela frustração assombra o técnico do Grêmio até os dias de hoje. Mesmo que evite falar, o ex-atacante não se controla.

Naquela oportunidade, o time equatoriano venceu em Quito por 4 a 2 e perdeu no Rio de Janeiro por 3 a 1. A disputa foi para os pênaltis e lá, brilhou o goleiro Cevallos.

"Eu fui basicamente prejudicado, entre aspas, em 2008 por isso. Se houvesse isso (gol qualificado), o Fluminense seria campeão. Mas as regras estão aí...", lembrou Renato ao ser questionado sobre a final sem gol qualificado fora de casa.

No início do ano, Renato Portaluppi foi textual. Disse, ao SporTV, que 'não engoliu' a derrota. Agora ele lembrou, por vontade própria, do episódio no Maracanã.

"Estou feliz por estar em mais uma decisão de Libertadores. A última tinha sido com o Fluminense... Eu acho que no momento em que é treinador, trabalha o campeonato todo. Tem uma carne de pescoço e vez em quando, não é só filé... Mas se chegou, é por ter condições. O pesadelo é a ansiedade da hora do jogo. É um título muito importante, não por ter perdido em 2008. Mas por ser importante para o clube, o terceiro na história do Grêmio", comentou.

Noite em prestações

Antes de um jogo grande, Renato tem um ritual que não foi montado por escolha própria. A ansiedade pelo apito final corta o sono do antigo camisa 7. A noite é vivida em prestações.

"Eu não vou dormir à meia-noite. Eu quero que eles durmam, mas o treinador dorme por etapas. Eu durmo, acordo às 3h, volto a dormir às 5h. Por isso não saio do quarto no dia do jogo, ninguém sabe se estou acordado ou dormindo. Se estou vendo TV, tomando sopa", brincou.

O fato de ter uma nova final sem gol qualificado pode até ser melhor. Agora, ao contrário de 2008, Renato começará a decisão jogando em casa. Se o Grêmio não vazar, ele estará em vantagem e até por isso evita críticas a regra.

"O Grêmio não vai mudar sua forma de jogar. A gente já sabia dessa regra. Não vamos mudar, não. Onde o Grêmio jogar, vamos jogar da mesma forma", apontou.

Grêmio e Lanús-ARG se enfrentam nesta quarta-feira (22), às 21h45 (Brasília) em Porto Alegre. O segundo e decisivo jogo será em La Fortaleza, na grande Buenos Aires, dia 29 de novembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos