Renato Gaúcho esbraveja contra árbitro: "Até o Stevie Wonder veria pênalti"

Do UOL, em Porto Alegre

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Renato Gaúcho gesticula em partida do Grêmio e reclama de arbitragem em final

    Renato Gaúcho gesticula em partida do Grêmio e reclama de arbitragem em final

Após a vitória por 1 a 0 do Grêmio sobre o Lanús, Renato Gaúcho reclamou do árbitro e da Conmebol. O pênalti não assinalado sobre Jael no fim do jogo gerou revolta do técnico gremista. Clique aqui e veja o gol da partida.

"A única coisa, e vocês sabem bem que desde o início do ano não gosto de falar e não vou falar de arbitragem, mas vocês viram. A única coisa que vou perguntar para Conmebol é o tal do vídeo. Eu vi o lance na TV. Ele (árbitro) olhou, levou o apito na boca, estava a três metros do lance, não estava encoberto. O Stevie Wonder não precisaria do vídeo para dar o pênalti.  Até o Stevie Wonder veria o pênalti. A pergunta que eu faço é: Por que não foi usado o vídeo? Foi um pênalti legítimo. Não sei por que não foi dado. Não precisa de vídeo, ninguém estava na frente dele. É o que eu queria saber", disse citando o cantor norte-americano que é cego.

A reclamação pautou todas as declarações do Grêmio depois do jogo. Atletas, direção, todos se colocaram contra o árbitro chileno Julio Bascuñam.

"Aliás, nem precisava do vídeo. E por que não foi usado? Quando jogamos no Equador, nos deram uma palestra, pediram para não fazermos gestos, que poderíamos conversar. Pedimos vídeo, fazem de conta que não existe. A Conmebol tem que explicar o lance em cima do Jael, mais nada", afirmou.

Além disso, Renato reclamou do cartão amarelo apresentado para Walter Kannemann, que está suspenso.

"Vi o lance na televisão. Falar de arbitragem é chover no molhado. Nitidamente o jogador empurrou, provocou o Kannemann. Ninguém merecia cartão, nem o jogador deles. Ele aproveitou e deu cartão e tirou o Kannemann da final. Ele não queria ficar fora de uma final. O terceiro amarelo com uma falta merecida, é uma coisa. Mas quando você é empurrado na área... Você quer que eu fale o quê? Você fica impossibilitado. Se abrir demais os braços ele é capaz de expulsar. Eu espero que na Argentina tenhamos uma arbitragem totalmente diferente. Me lembro bem o que houve em 2008, espero que não se repita", disse. "Não temos o Kannemann, vamos fazer o quê. Que todos estejam preparados", completou.

A reclamação do Grêmio está centrada em três lances. Dois pênaltis, um em cada etapa, e mais o cartão amarelo aplicado em Walter Kannemann, que faz o zagueiro ser desfalque no segundo jogo da decisão.
 
O primeiro pênalti reclamado pelo Grêmio foi em lance com Ramiro, quando o camisa 17 invade a área e se choca com dois adversários. A segunda penalidade ocorreu com Jael, nos minutos finais da partida. O centroavante é deslocado com um toque por trás quando a bola estava no ar. O lance de Kannemann foi uma discussão dentro da área antes da cobrança de escanteio. Ele e o defensor rival levaram amarelo. 

O Grêmio, agora, joga por um empate no jogo de volta, na próxima quarta-feira, no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos