Grêmio teme clima hostil e violência em jogo final na Argentina

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeferson Guareze/AGIF

O Grêmio teme encarar um cenário completamente hostil e com viés violento no segundo jogo da final da Libertadores, diante do Lanús-ARG, na próxima quarta-feira. Segundo o clube gaúcho, os relatos de maus-tratos a torcedores argentinos são improcedentes e servem apenas para acirrar os ânimos às vésperas do duelo no estádio La Fortaleza. A diretoria ainda declarou que tem tomado medidas de segurança para o deslocamento do time.

Grêmio e Lanús fecharam acordo para liberar grande número de torcedores visitantes nos dois jogos da final. Em Porto Alegre foram quatro mil argentinos. Na Argentina serão cinco mil gremistas. Mas os episódios da primeira partida tumultuaram o ambiente.

Segundo o jornal Olé, os torcedores do Lanús passaram por problemas no deslocamento até o estádio. Além de terem recebido maus-tratos da Brigada Militar após a partida vencida pelo Grêmio. O periódico ainda noticiou que o clube 'granate' prestou queixa junto à Conmebol.

"A linha é muito tênue entre normalidade e eventos que desencadeiem violência. Nós queremos ir à Argentina, vamos enfrentar um ambiente contrário por ser no campo adversário. Mas qualquer tentativa de criar clima hostil, qualquer ideia de intimidar o Grêmio, é lamentável. O relato da Brigada Militar é que vieram 98 ônibus da Argentina e não houve nenhum incidente sequer. Não houve relato de alguém agredido, briga ou algo assim. Houve eventos, senão me engano, com 13 ônibus sem dano maior. Talvez um vidro trincado ou amassado na lataria. Não houve nenhuma lesão. Querer dizer que a torcida do Lanús foi recebida com violência é uma mentira. E é uma forma de criar clima hostil lá", disse Odorico Roman, vice de futebol.

Os torcedores do Grêmio foram orientados a fazer o deslocamento até o estádio em grupo. De preferência em coletivos e não em carros particulares ou de passeio. O clube gaúcho conseguiu acordo com as autoridades públicas da Argentina e os tricolores ficarão concentrados em Puerto Madero antes da viagem com escolta policial. Os cuidados com a delegação também existem.

"O que estamos trabalhando agora é para garantir tranquilidade e segurança da delegação. Vamos ter cuidados no deslocamento, já tratados com a polícia argentina. Temos uma situação de segurança interna no estádio. Tudo nessa área interna está detalhado", comentou Roman.

Grêmio e Lanús-ARG se enfrentam na quarta-feira (29), às 21h45 (Brasília). O Tricolor pode até empatar que fica com o título. Se o time argentino vencer por placar mínimo o jogo vai para a prorrogação. Persistindo igualdade, a taça será definida nos pênaltis.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos