Luan não saiu para ser campeão e conseguiu. Agora, está ainda maior

Diego Salgado e Jeremias Wernek

Do UOL, em São Paulo e Porto Alegre

  • AFP PHOTO / EITAN ABRAMOVICH

    Luan comemora gol diante do Lanús na final da Libertadores

    Luan comemora gol diante do Lanús na final da Libertadores

Um "não" a um sonho para ser campeão da Libertadores meses depois. Essa é a história de Luan, grande craque do tricampeonato gremista e autor do último gol do time na conquista da Libertadores. 

A volta olímpica na Argentina premia o atacante, que poderia estar, a esta altura, acompanhando o futebol brasileiro pela TV. Em agosto, no meio da janela de transferências, Luan teve proposta para transferir-se para o Spartak, de Moscou, mas decidiu ficar com a conquista da Libertadores em mente. Fundamental para o título, ele agora se valoriza ainda mais. 

Em tempos de jogadores ansiosos por uma transferência para a Europa, Luan disse não com a escolha nas mãos. Na época, o Grêmio e o estafe do jogador estavam satisfeitos com a ideia, e cabia ao atacante decidir se embarcava ou não. A vitrine para a seleção brasileira às vésperas da Copa, a baixa atratividade do mercado russo e, principalmente, a chance de ser campeão da Libertadores, pesaram. 

"Ninguém ouviu o meu lado. Não estou sabendo, não tem o que falar. Quero viver este momento. Não é só minha convocação, mas dos meus companheiros que me ajudaram, e quero viver isso muita alegria para mim. Não quero nem falar muito sobre isso", disse o jogador na época, depois de ajudar o Grêmio a conquistar uma vaga nas quartas de final da Libertadores.

Luan ficou e foi fundamental. Embora não tenha atuado nas quartas contra o Botafogo, lesionado, foi o jogador mais decisivo do duelo contra o Barcelona-EQU, na semi, e chegou a ser indicado a MVP da competição. Com a taça em mãos, precisa pensar no Mundial de Clubes e pode, na sequência, sonhar com voos mais longos.

A ideia do atacante é defender, no futuro, um time do primeiro escalão de Alemanha, Espanha, Inglaterra ou Itália. Nesse pensamento, Luan também não mostrou entusiasmo com uma proposta da Sampdoria em julho passado.

Valorizado ainda mais depois de dois gols na primeira semifinal da Libertadores, quando o Grêmio venceu o Barcelona-EQU por 3 a 0 fora de casa, Luan acertou a renovação de contrato com o Grêmio até 2020.

Havia a possibilidade, vale lembrar, de Luan deixar o Grêmio de graça - o atacante poderia assinar um pré-contrato já em março, pois o contrato anterior com o clube gaúcho se encerraria em setembro de 2018. Agora, a multa para tirar o jogador do clube gaúcho é de R$ 18 milhões de euros (R$ 68,4 milhões). 

"Isso é do meu caráter, sempre deixei claro desde quando começamos a tratar desse lance da renovação. Falei que ia renovar. Minha intenção nunca foi sair de graça daqui. Por tudo que o Grêmio me proporcionou. Sou muito grato ao clube e nada mais justo do que dar esse retorno. Faz tempo que a gente vinha conversado e era só acertar os detalhes. Falei que não tinha pressa, não tive pressa para sair no meio do ano", disse Luan no começo do mês, logo após acertar a renovação.

Apesar disso, como mostrou o UOL Esporte, o novo vínculo não mudou a perspectiva de futuro do jogador. Antes mesmo de ser protagonista no título da Libertadores, Luan deve deixar o Brasil na próxima janela de transferências ainda mais valorizado. O clube e o estafe do atleta aguardam uma oferta em dezembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos