"Intocável" e mais ídolo que nunca, Renato lidera Grêmio na busca pelo tri

Jeremias Wernek

Do UOL, em Buenos Aires (ARG)

  • REUTERS/Diego Vara

    Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, é fundamental na construção do time além do campo

    Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, é fundamental na construção do time além do campo

Herói, ídolo, treinador. Figura central de toda a estrutura atual. Renato Gaúcho e o Grêmio se confundem quando alguém olha de relance. A campanha na Libertadores, e o ano de 2017 completo, ratificam o status de intocável. O jogo contra o Lanús-ARG, nesta quarta-feira (29), pode fazer o antigo camisa 7 chegar a outro patamar: ser campeão da América como jogador e técnico. E, além disso, aumentar uma vantagem já quase inatingível no olimpo tricolor.

Como todo ídolo, Renato tem matizes que ficam escondidas diante daquilo que a opinião pública formou como resumo dele. A timidez e a generosidade dividem espaço com uma postura centralizadora e onipresente dentro do clube. A personalidade cativante também é dura com os opositores e ganha guarida pela experiência no mundo da bola e pelos resultados. Seja do time ou dos jogadores.

Completo em 2017

REUTERS/Edison Vara

Renato já havia treinado o Grêmio em outras duas oportunidades, mas todos que convivem com ele agora são definitivos. Nunca houve tamanho empenho e comprometimento.

"Ele já vinha para cá pensando quando ia voltar para o Rio. Era um treinador sazonal. Agora está dedicado, é um técnico por completo", disse Fábio Koff, ex-presidente do Grêmio e dirigente na segunda passagem de Renato Portaluppi como técnico do clube, em 2013.

Essa imersão no trabalho vai desde a postura até estrutura e rotina. Renato vive em um hotel de Porto Alegre e de lá só sai para o CT Presidente Luiz Carvalho ou o aeroporto. No quarto, tem uma estação de trabalho onde assiste aos jogos e rabisca observações. Alexandre Mendes, auxiliar técnico e fiel escudeiro, também reside no mesmo local e divide os cadernos com escritas.

Por todos os lados

Ricardo Rímoli/AGIF

A moradia impessoal impõe uma rotina toda voltada para o futebol. E os hábitos formam o homem. No CT, Renato evita distrações e coordena quase todos os processos. Temas de logística, nutrição, preparação física, departamento médico. Observação de adversários, jogadores. Em recente entrevista ao UOL Esporte, o próprio treinador admitiu a influência.

"Eu tomo milhares de decisões por dia. Me meto em todos os setores por saber que tudo estoura no campo. Então eu vou ao departamento médico, na parte física, na nutricionista. Vou até na diretoria, vou no presidente, no jogador. Eu vou por me garantir. Me preocupo com tudo. Uma área que não andar vai entrar em campo e estourar no treinador", afirmou.

Segredos até 'em casa'

Lucas Uebel/Grêmio

No cargo desde setembro do ano passado, Renato criou um método bem específico. A escalação do time fica restrita a ele e Mendes. Nem mesmo os demais integrantes da comissão sabem com antecedência os eleitos para os jogos.

Na concentração, o treinador gosta de realizar conversas individuais com os jogadores e também em pequenos grupos antes da preleção final. Nesse papo, geralmente realizado no quarto de cada atleta, Portaluppi passa confiança com frases de efeito e diálogo aberto. Mas nunca revela completamente a escalação. A lista só é informada horas antes do jogo.

Generoso

LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Renato sempre teve a fama de ser amigo dos amigos. Muito além da clássica história de Leandro na concentração da seleção brasileira com Telê Santana, ele já abraçou problemas de terceiros e recentemente deu duas novas provas. Doou R$ 10 mil ao jornalista Jairo Kuba, que passará por procedimento cirúrgico para redução de peso.

Em setembro, quando da morte de Wianey Carlet, Portaluppi fez um pronunciamento e mandou condolências à família. Ele e o cronista trocaram farpas nos últimos anos.

Mais recentemente, o treinador foi um dos entusiastas da visita de Willian Lima Garcez Júnior, 22 anos, ao CT. O jovem com câncer na pleura encontrou jogadores e foi apresentado a eles justamente por Renato. Dias depois do encontro, Willian faleceu, em episódio marcante na trajetória gremista.

Espião e caça ao 'X9'

Marcello Zambrana/AGIF

Renato admitiu que tem um profissional contratado para colher informações dos rivais. O caso veio à tona com o flagra da ESPN Brasil ao espião em ação na Argentina, antes do duelo com o Lanús-ARG, no primeiro jogo da final da Libertadores. Os serviços de André Banchi geram uma divisão no Grêmio. Sem unanimidade pelo caráter ético, mas também pelo aspecto técnico.

O treinador, depois de esclarecer o tema, voltou a usar uma expressão que denota sua ideia de futebol hermético e postura que pode gerar atritos. "Não pensem que nós somos burros. Não pensem que não estamos espertos. No mundo todo tem um X9. Não somos burros. O bom cabrito não berra", disse Renato. "Alguém vai pagar por isso", completou depois.

O Grêmio reencontra o Lanús precisando apenas de um empate para ser tricampeão da Libertadores. E Renato, por consequência, necessita de qualquer escore igual para abrir outra página no livro de recordações no clube. Cheia de nuances, mas acima de tudo vencedora.

FICHA TÉCNICA
LANÚS-ARG X GRÊMIO

Data e hora: 29/11/2017 (quarta-feira), às 21h45 (Brasília)
Local: estádio Ciudad de Lanús Nestor Díaz Pérez, em Lanús (ARG)
Transmissão: Globo, Fox Sports e Sportv
Árbitro: Enrique Caceres (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo (PAR) e Juan Zorrilla (PAR)
Árbitro de vídeo: Mario Diaz de Vivar (PAR)
Auxiliares de vídeo: Victor Carrillo (PER) e Milciades Saldivar (PAR)

LANÚS: Andrada; J. Gomez, Herrera, Guerreño e Velázquez; Ivan Marcone, Román Martínez e Pasquini; Alejandro Silva, Lautaro Acosta e José Sand
Técnico: Jorge Almirón

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Bressan e Bruno Cortez; Jailson, Arthur, Ramiro, Luan e Fernandinho; Lucas Barrios
Técnico: Renato Gaúcho

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos