Diretor do Fla: "Contar com Guerrero na Libertadores seria um acréscimo"

Do UOL, em São Paulo

  • Buda Mendes/Getty Images

Diretor-executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano comentou a redução da pena de Paolo Guerrero por doping. Nesta quarta-feira (20), a Fifa diminuiu de um ano para seis meses a suspensão do atacante peruano.

"Isso aconteceu hoje, temos que conversar internamente sobre isso, com o nosso departamento jurídico. Ele é totalmente isento dessa acusação. Lamentavelmente, o Flamengo já teve um prejuízo grande. A gente espera que haja mais justiça do que hoje. Que ele possa ser absolvido no TAS", afirmou ao "SporTV".

Sobre a participação na Libertadores, Caetano considerou um "acréscimo" poder contar com Paolo Guerrero. Questionado, contudo, o dirigente não descartou buscar outro atacante no mercado.

"Poder contar com o Paolo em uma Libertadores seria um grande acréscimo para o Flamengo", afirmou. "(Outro atacante) A gente ainda não tomou essa decisão. Temos que ver possibilidades, porque até hoje a informação que tínhamos era uma suspensão de um ano. Vamos ver internamente, os riscos disso, para sabermos se vamos ao mercado ou não", completou.

Confira o que os dirigentes dos outros clubes brasileiros acharam do sorteio:

Romildo Bolzan, presidente do Grêmio:

(O grupo) Não é tão tranquilo assim. Vamos ter uma situação bastante difícil, também em termo de logística. Mas é um grupo que, em tese, o Grêmio pode perfeitamente buscar uma classificação.

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras:

(Boca Juniors) É um clássico, um jogo grande. É bom começar com um jogo grande, estamos nos preparando para isso. Esperamos fazer bons jogos na Libertadores. Com certeza teríamos um clássico pela frente. (Boca Juniors) Vai ser um grande jogo e vamos ter que enfrentar. A gente quer o bi da libertadores, e para isso tem que enfrentar grandes desafios.

Roberto de Andrade, presidente do Corinthians:

Acho que não vi nenhuma chave fácil. Até porque não temos conhecimento de todos os clubes, como jogam no momento e acabaram o ano. Na nossa chave, não tem nenhum clube mais ou menos. Às vezes, começar com dificuldade é legal porque passa e vai mais forte no mata-mata. O Corinthians tem grande chance de avançar, a minha vaga estará garantida porque vamos fazer nossa parte.

Orlando Rollo, vice-presidente do Santos:

Não existe grupo fácil na Libertadores. A gente está confiante, são jogos difíceis. O Peñarol já foi campeão da Libertadores. Estamos bem confiantes, mas a chave é difícil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos