Em jogo com 3 expulsões, Chape perde em casa e se complica na Libertadores

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO

De um lado, o nervosismo de uma equipe com pouca tradição, do outro, uma tricampeã que sabe jogar a Copa Libertadores como poucas equipes na América do Sul. Foi nesse ambiente que a Chapecoense não conseguiu a aproveitar a vantagem de jogar na Arena Condá e acabou derrotada por 1 a 0 contra o Nacional-URU, nesta quarta-feira (31). O volante Santiago Romero fez o único gol que deu a vantagem para o time uruguaio no primeiro jogo da segunda fase da Libertadores, em busca de uma vaga na fase de grupos.

Com o resultado, a Chape terá um grande desafio na próxima quarta-feira (7). A equipe precisará bater o Nacional em pleno Gran Parque Central por dois gols de diferença se quiser avançar à segunda eliminatória para garantir a vaga na fase de grupos do torneio. Se fizer mais de um gol, o time também segue adiante com vitória simples. Mais tranquilo, a equipe de Montevideu contará com a força da torcida e a vantagem do empate para seguir na competição.

Experiente, o time uruguaio foi o responsável pelas principais chances da primeira etapa. Sebastián  Fernández e Zunino tiveram as duas melhores oportunidades de gols, mas ambas foram para fora. Mesmo com mais a posse de bola, a equipe anfitriã não conseguiu desenvolver boas jogadas. A principal oportunidade da Chape foi em um chute de fora da área com Márcio Araújo, em que a bola foi parar na arquibancada da Arena Condá.

Catimba uruguaia

Se faltou qualidade técnica na equipe tricampeã da Libertadores, não faltou malandragem por parte dos uruguaios. Bastante experiente, o time do Nacional aproveitou diversos erros de passes da nervosa Chapecoense e também acertou alguns jogadores com entradas perigosas. Bruno Pacheco e Nadson foram duas das principais vítimas dos atletas visitantes, que não economizaram nos carrinhos e nas cotoveladas em disputas pelo alto.

Dono das jogadas mais perigosas da etapa inicial, o Nacional voltou do intervalo tomando a iniciativa no ataque. Aproveitando a pouca eficácia de Apodi na marcação, os uruguaios forçaram jogadas pela esquerda com Espino e Viúdez nos 15 minutos iniciais do segundo tempo.

Nacional muda e abre o placar

Precisando vencer em casa, Gilson Kleina desarmou o esquema de três volantes colocando o atacante Bruno Silva na vaga de Lucas Mineiro. No entanto, foi a mexida de Alexander Medina que deu certo no jogo. Dois minutos depois de entrar em campo, o argentino Gonzalo Bergessio apareceu livre pela esquerda e rolou a bola para Zunino. Jandrei não conseguiu impedir o cruzamento rasteiro do lateral para Romero, que apareceu livre para abrir o placar aos 28 minutos da etapa final.

Nervosismo e expulsões

Um minuto depois do gol, a Chape viu uma boa vantagem aparecer com a expulsão de Espino. A ofensividade da Chape com a desvantagem foi tão grande quanto o seu nervosismo. Após um chute forte no travessão de Bruno Silva, Perotti acabou dando uma voadora na perna do zagueiro Corujo e acabou levando cartão vermelho direto. Além de Perotti, outra substituição de Kleina também acabou indo para o chuveiro mais cedo. O atacante Eduardo foi expulso por deixar o braço no rosto do jogador adversário.

Revelação cria, Apodi desperdiça

A chance de Bruno Silva não foi a única grande oportunidade criada pela equipe brasileira. O atacante de apenas 17 anos também arriscou outro chute de fora da área aos 33 minutos da segunda etapa, defendido por Conde. No rebote, Apodi chutou para fora mesmo estando completamente livre. Antes do apito final, a Chape teve outras chances em escanteios, mas bem fechada, a equipe do Nacional não deu chances de um gol de empate salvador.

FICHA TÉCNICA

Chapecoense 0 x 1 Nacional-URU

Data: 31 de janeiro de 2018, quarta-feira
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Hora: 21h45 de Brasília
Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)
Cartões amarelos: Fabrício Bruno, Guilherme e Amaral (Chapecoense), Espino, Sebástian Fernández e Fucile (Nacional)
Cartões vermelhos: Espino (Nacional), e Perotti e Eduardo (Chapecoense)

Gol: Santiago Romero (Nacional)

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Lucas Mineiro (Bruno Silva) e Nadson (Perotti); Guilherme (Eduardo) e Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina
Nacional-URU:  Conde; Fucile, Corujo, Arismendi e Espino; Oliva, Santiago Romero e Zunino (Barcía); Viúdez (Bergessio), Sebastián Fernández (Álvaro González) e Carlos de Pena. Técnico: Alexander Medina

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos