Gabigol "falha" pela 1ª vez, e Santos perde em estreia da Libertadores

Do UOL, em Santos (SP)

  • Martin Mejia/AP

    Santos sofreu gol do Real Garcilaso no início do primeiro tempo na altitude de Cusco

    Santos sofreu gol do Real Garcilaso no início do primeiro tempo na altitude de Cusco

O Santos começou a Copa Libertadores da América com derrota por 2 a 0 para o Real Garcilaso, do Peru. O time alvinegro sentiu bastante a altitude de 3.400 m de Cusco, saiu perdendo logo no começo e ainda foi castigado com um segundo gol rival no finzinho - Vidales e Ramua marcaram. O tropeço marcou a primeira derrota de Gabigol o retorno ao clube paulista no mês passado. Até então ele havia disputado quatro jogos, vencido três, empatado um, e marcado quatro gols.

E Gabigol foi importante no resultado negativo. Pressionado e sofrendo com chutes de fora da área, o Santos teve a melhor chance de "voltar para o jogo" justamente nos pés de seu camisa 10. Após receber passe de Sasha, o atacante, sem goleiro, chutou fraco, em cima do zagueiro peruano. Do outro lado o goleiro Vanderlei, herói santista na temporada passada, evitou o pior com boas defesas, a maioria em chutes de longe e da entrada da área.

Após encarar o Real Garcilaso na Libertadores, o Santos tem compromisso importante no Campeonato Paulista. Neste domingo, a equipe santista enfrenta o rival Corinthians neste domingo, no estádio do Pacaembu, em jogo válido pela décima rodada da competição.

Pela Libertadores, o Santos volta a campo no próximo dia 15, quando enfrenta o Nacional, do Uruguai, no Pacaembu. Como Estudiantes e Nacional empataram, o alvinegro praiano termina a primeira rodada na "lanterna" do Grupo 6.

Quem foi bem: Vanderlei continua o mesmo!

O goleiro Vanderlei, um dos melhores jogadores do Santos nos últimos anos, continua "reivindicando" em campo uma vaga na seleção brasileira. Ele evitou que a equipe santista sofresse uma goleada no Peru. Foram mais de cinco defesas.

Quem foi mal: Jean Mota e Copete "matam" o lado esquerdo

Ivan Storti/SantosFC

O Santos praticamente não teve um lado esquerdo em campo. Jean Mota, improvisado na lateral-esquerda, sofreu bastante com a pressão do Real Garcilaso na altitude. O gol de Visales ocorreu nas "costas" de Mota, que não acompanhou a infiltração do peruano. Já Copete "desapareceu" no ataque, errou muitos passes e marcou muito mal.

De tanto tentar, Garcilaso marcou golaço

O meia Ramúa testou Vanderlei diversas vezes em chutes de fora área, mas parou no camisa 1 do Santos. No entanto, no final da partida, ele acertou o ângulo e marcou um golaço. A bola bateu dentro do gol e saiu, e os santistas ameaçaram reclamar. Mas o gol foi legal.

Sasha: o "garçom" frustrado

Ivan Storti/SantosFC

Eduardo Sasha, o melhor do Santos na partida ao lado de Vanderlei, fio responsável por duas assistências que poderiam garantir a vitória do Santos. Ele deixou Gabigol, sem goleiro, e viu o companheiro chutar fraco em cima do zagueiro. No segundo tempo, ele deixou Vecchio livre dentro da área, mas o meia chutou pra fora.

Santos sofre com "tiros" de longe e Vanderlei só espalma

O Real Garcilaso aproveitou o fato de os times estrangeiros enfrentarem dificuldades na altitude. Foram muitos chutes de fora da área contra o Santos. O goleiro Vanderlei também sentiu a altitude, pois não segurou nenhuma bola, espalmou todas, tanto para frente, como para escanteio. Foram cinco finalizações certas somente no primeiro tempo. Mas a defesa mais bonita ocorreu na segunda etapa, quando ele espalmou um chute cruzado de Ramúa.

Rodrygo faz história pelo Santos

O atacante Rodrygo fez história com a camisa do Santos ao entrar em campo no lugar de Sasha aos 36 minutos do segundo tempo. Isso porque ele passou o meia Diego, hoje no Flamengo, e se tornou o jogador mais jovem a defender o clube paulista na Libertadores.

Jejum do Santos na altitude aumenta!

A derrota contra o Real Garcilaso mantém o jejum do Santos atuando na altitude. Agora já são cinco jogos sem vencer em grandes altitudes A última vez que o clube da Vila Belmiro conseguiu três pontos em situação semelhante foi contra o Once Caldas (1 a 0), em 2011, gol de Alan Patrick. Antes do tropeço em Cusco, o Santos jogou mais quatro vezes na altitude neste período: foram duas derrotas em 2012, ambas por 2 a 1, contra Bolívar e The Strongest, da Bolivia. Já os dois empates ocorrem no ano passado, quando a equipe santista ficou no 0 a 0 com o Santa Fe, da Colômbia, e empatou por 1 a 1 com o The Strongest.

FICHA TÉCNICA

REAL GARCILASO 2 X 0 SANTOS

Data: 1º de março de 2018, quinta-feira
Local: Estádio Inca Garcilaso de la Vega, em Cusco (Peru)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Gery Vargas (Bolívia)
Assistentes: Jose Antelo e Juan P. Montaño (ambos da Bolívia)

Gols: Vidales aos sete minutos do primeiro tempo e Ramúa aos 46 minutos do segundo tempo (Real Garcisalo)

Cartões amarelos: Vecchio e Lucas Veríssimo (Santos); Dulanto (Real Garcisalo)

Real Garcilaso: Diego Morales; Santillán, Dulanto, Kontogiannis e Arismendi (Luis García); Garcia, Álvarez, Vidales (Fernando Pérez), Ramúa e Landauri (Cóssio); Franco.
Técnico: Óscar Ibañez.

Santos: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Arthur Gomes); Alison, Renato e Vecchio (Vitor Bueno); Copete, Eduardo Sasha (Rodrygo) e Gabriel Barbosa.
Técnico: Jair Ventura.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos