Gabigol pede desculpas por expulsão e Jair "esconde" bronca no vestiário

Do UOL, em Santos (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Gabigol foi expulso aos 43 minutos do primeiro tempo contra o Nacional

    Gabigol foi expulso aos 43 minutos do primeiro tempo contra o Nacional

Gabigol pediu desculpas para o técnico Jair Ventura e elenco do Santos nos vestiários após ser expulso aos 43 minutos do primeiro tempo na vitória de sua equipe contra o Nacional, do Uruguai. Em seguida, o camisa 10 também não fugiu da imprensa e pediu desculpas em público para companheiros, técnico e torcida em entrevista coletiva.

"Poderia ter evitado o primeiro cartão, tentei proteger o Rodrygo. Preciso ter mais calma e não vai acontecer mais. A segunda jogada não (segundo cartão amarelo), eu estava em alta velocidade, ele me chuta e eu passo reto. Não acho que foi pra cartão, tiveram jogadas piores. Eu errei, pedi desculpas para os meus companheiros, para o Jair. Preciso entrar menos pilhado. O time correu bastante, conseguiu a vitória, mas eu preciso melhorar, pedi desculpas para o Jair e para os companheiros, e não vai acontecer de novo", afirmou Gabigol.

O camisa 10 ressaltou que evita levar em conta o que vem das arquibancadas: tanto os elogios, como as críticas que ocorreram no jogo desta quinta-feira. Após ser expulso, Gabigol foi chamado de "burro e moleque" pela torcida que estava no Pacaembu. 

"Como eles me chamam de carque e goleador e não escuto, também não o de burro não vou escutar. Aceito elogios e críticas, mas não levo isso para mim. Acabei tomando cartão, pedi desculpas ao Jair e meus companheiros, creio que aceitaram e vou entrar mais calmo para não prejudicar o time", disse.

Jair Ventura, por sua vez, fez questão de lembrar que é um educador e, por isso, deixou a entender que Gabigol não deixou de ser repreendido. No entanto, o treinador fez questão de dizer que a conversa que teve com Gabriel nos vestiários não seria exposta para a imprensa depois do jogo.

"Gabriel, ele pediu desculpas para todo o grupo. Você como educador temos que rever as coisas, estamos revendo e está sendo feito. Mas eu me preservo de falar coisas internas. Jamais vou ficar expondo situações de vestiário e da minha sala. Como ele já pediu desculpas, ele admite o erro... Não estamos aqui para passar a mão, mas não vou expor o menino. Já conversamos e me reservo a não falar o que conversamos", disse Jair.

Gabigol recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho aos 43 minutos do primeiro tempo. O vermelho veio por conta de falta em Polenta, mas o problema foi o primeiro cartão amarelo recebido. Isso porque o camisa 10 se envolveu em discussão desnecessária com os jogadores uruguaios e recebeu o cartão por reclamação com a arbitragem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos