Com Gabigol expulso, Santos vê Rodrygo e Sasha brilharem e vence Nacional

Do UOL, em Santos (SP)

  • REUTERS//Paulo Whitaker

    Rodrygo marcou na "hora certa" e ajudou o Santos vencer os uruguaios no Pacaembu

    Rodrygo marcou na "hora certa" e ajudou o Santos vencer os uruguaios no Pacaembu

O Santos venceu o Nacional, do Uruguai, por 3 a 1, nesta quinta-feira, no estádio do Pacaembu, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. A equipe santista contou mais uma vez com o talento de Rodrygo para conquistar os três pontos e assumir a vice-liderança de seu grupo. Quem também se destacou foi Sasha, autor de dois gols. O Estudiantes lidera, com quatro pontos.

Apesar de sair na frente com um "frango" do goleiro Conde em gol de Sasha aos 19 minutos do primeiro tempo, o Santos foi para o vestiário preocupado pois Gabigol foi expulso aos 43 minutos da etapa inicial. Quando parecia que o time de Jair Ventura sofreria pressão para segurar o resultado, Rodrygo arrancou pelo lado esquerdo do ataque aos dois minutos do segundo tempo, driblou dois marcadores e tocou na saída do goleiro para fazer o segundo gol. A jogada brilhante do jovem de 17 anos esfriou o Nacional, que não conseguiu pressionar o alvinegro praiano.

A vitória parecia tranquila no segundo tempo, porém o jogo esquentou nos dez minutos finais. Oliva diminuiu para o Nacional aos 35 minutos, mas o Santos reagiu dois minutos depois. Sasha recebeu passe de Alison e marcou o seu segundo gol no jogo na saída do goleiro Conde.

Após vencer o Nacional, o alvinegro praiano volta a campo pela Copa Libertadores da América no próximo dia 5, quando encara o Estudiante, na Argentina. Dois dias antes, o time Uruguai enfrenta o Real Garcilaso no Peru. No próximo final de semana, o Santos inicia o duelo de quartas de final do Campeonato Paulista. A equipe santista encara o Botafogo, domingo, às 19h30 (de Brasília), no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

O melhores: Rodrygo e Sasha "ensinam" Gabigol

Se Gabigol foi expulso e quase atrapalhou a vida do Santos, os outros dois atacantes brilharam. Sasha abriu e fechou placar, enquanto Rodrygo fez um belo gol ao passar por dois marcadores e tocar na saída do goleiro no início do segundo tempo. Além da eficiência no ataque, a dupla ajudou muito na marcação. Sasha, por exemplo, apareceu diversas vezes roubando bolas na lateral, no campo de defesa.

O pior: Gabigol é expulso no 1º tempo e é vaiado

Marcello Zambrana/AGIF

Gabigol recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho aos 43 minutos do primeiro tempo. O vermelho veio por conta de falta em Polenta, mas o problema foi o primeiro cartão amarelo recebido. Isso porque o camisa 10 se envolveu em discussão desnecessária com os jogadores uruguaios e recebeu o cartão por reclamação com a arbitragem. A torcida não perdoou. Gabriel foi chamado de burro e moleque nas arquibancadas do Pacaembu.

Que frango!

O Santos abriu o placar aos 20 minutos por conta de um "frango" do goleiro Conde, do Nacional-URU. Jeam Mota cobrou falta para desvio de Eduardo Sasha, de cabeça. A bola foi fraca e no meio do gol, mas o goleiro deixou a bola escapar entre os braços e sofreu o gol.

Se redimiu!

Após o "frango" do primeiro tempo, Conde se redimiu na segunda etapa. Ele pegou pênalti de Arthur Gomes, que entrou no lugar de Rodrygo aos 21 minutos do segundo tempo. O atacante santista sofreu o pênalti em boa jogada individual, mas foi infeliz ao bater fraco e rasteiro no canto direito do goleiro.

Em apenas 18 minutos, seis cartões amarelos

O duelo começou quente, típico de um Brasil e Uruguai. Em somente 18 minutos de jogo, o árbitro já havia disparado seis cartões amarelos: três para o Santos (Gabigol, Rodrygo e Léo Cittadini) e três para o Nacional (Corujo, Romero e Oliva). No final da primeira etapa, Polenta ainda recebeu o cartão amarelo após fazer falta dura em Eduardo Sasha.

Gabigol fez, mas não valeu!

Gabigol teve um gol anulado aos 25 minutos do primeiro tempo. após boa troca de passes entre Sasha e Jean Mota, o lateral improvisado cruzou para Gabigol, que estava pouco a frente do defensor uruguaio.

Santos fica mais rápido e ofensivo sem Renato

No primeiro tempo, quando o Santos teve onze atletas em campo, foi notório que o time fica mais leve e rápido com a entrada de Léo Cittadini no lugar de Renato. O jovem meia apareceu bastante para as triangulações no ataque e infiltrações dentro da área adversária, coisa que o veterano não tem mais força para fazer.

O "dedo" de Jair Ventura

Após perder Gabigol expulso no fim do primeiro tempo, Jair Ventura voltou com uma "alteração cirúrgica". Ele colocou Dodô no lugar de Vecchio. O time ficou mais veloz e ganhou um lado esquerdo ofensivo bem ágil, com Dodô, Jean Mota e Rodrygo, além de Cittadini que saiu para o ataque no setor.

FICHA TÉCNICA

Santos 3 x 1 Nacional-URU

Data: 15 de março de 2018, quinta-feira
Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Ulises Mereles (Paraguai)
Assistentes: Dario Gaona e Carlos Caceres (ambos do Paraguai)

Gols: Sasha aos 19 minutos do primeiro tempo e aos 37 minutos do segundo tempo, e Rodrygo aos dois minutos do segundo tempo; Oliva aos 35 minutos da segunda etapa para o Nacional

Cartões amarelos: Gabigol, Léo Cittadini e Rodrygo (Santos); Corujo, Romero e Oliva (Nacional)

Cartão vermelho: Gabigol aos 43 minutos do primeiro tempo

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, David Braz, Lucas Veríssimo e Jean Mota; Alison, Léo Cittadini (Guilherme Nunes) e Vecchio (Dodô); Rodrygo (Arthur), Eduardo Sasha e Gabriel Barbosa.
Técnico: Jair Ventura

Nacional-URU: Conde; Peruzzi, Corujo (Bueno), Arismendí e Polenta; Romero e Oliva (Viúdez); Zunino, Espino; De Pena e Bergessio (Rodriguez).
Técnico: Alexander Medina

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos