Mapa da mina? Ponto forte do Palmeiras é principal fraqueza do Alianza Lima

Danilo Lavieri e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Gero Rodrigues/O Fotográfico/Estadão Conteúdo

    Torcida do Palmeiras não irá em peso no estádio: venda antecipada foi de 27 mil ingressos

    Torcida do Palmeiras não irá em peso no estádio: venda antecipada foi de 27 mil ingressos

Poucas posições no Palmeiras estão tão bem servidas quanto os chamados pontas, atletas que têm por vocação atuar abertos pelas alas infernizando a vida de laterais adversários. E é justamente este o setor que mais preocupa o Alianza Lima, adversário da 2ª rodada da fase de grupo da Libertadores, duelo marcado para 21h30 desta terça-feira (3), no Allianz Parque.

A equipe vem em um momento instável na temporada. No fim de semana, o time conseguiu ganhar a primeira em um mês: foram seis jogos, com quatro empates (entre eles o 0 a 0 com o Boca Juniors), uma derrota e apenas um triunfo (contra um novato Ayacucho, pequeno time fundado em 2008).

As laterais são apontadas por boa parte da imprensa local como as grandes responsáveis pela instabilidade do time. Não é à toa que Pablo Bengoechea, técnico dos peruanos, não para de efetuar trocas nos setores, tanto pela direita quanto pela esquerda. Para este jogo, é provável que joguem Cotrina e Duclós, dois que não estiveram em campo na última rodada. Marina, que vem da base, é uma outra opção. Nem mesmo Leao  Butrón, goleiro titular, poderá atuar. 

Há, inclusive, a chance de o treinador escalar um time em um novo formato, no 4-3-3. A surpresa seria a entrada de Leyes.

"O time não vem muito bem. Ganhou a primeira recentemente depois de cinco rodadas. Está na terceira posição do grupo no torneio peruano e mostra um futebol muito pobre. O time tem sérias deficiências nas laterais, tanto na esquerda quanto na direita", analisou Franz Tamayo, que trabalha para o site peruano Zona Fútbol.

Do outro lado, o Palmeiras pode ter problemas para escalar sua equipe após a batalha contra o Corinthians no último sábado, mas as pontas são as menores preocupações para Roger Machado.

Se não puder contar com Dudu, que deixou o clássico bastante desgastado, o treinador poderá escalar Keno, Willian, Alejandro Guerra, Michel Bastos e Hyoran. Em situações extremas, o comandante poderia até mesmo colocar Lucas Lima para jogar aberto.

A equipe ainda conta com Artur, que está no elenco, mas não foi inscrito, e com Gustavo Scarpa, que também sabe atuar aberto, mas está afastado por problemas judiciais.

Além das pontas, Roger poderá efetuar trocas em outros setores, como o meio-campo. Felipe Melo, que está suspenso do jogo de volta da final do Paulista, deve ser titular, mas é possível que Bruno Henrique seja poupado e substituído por Moisés. Nas laterais, Victor Luís e Marcos Rocha não devem ter condições físicas e deixarão seus postos para Diogo Barbosa e Tchê Tchê.

Depois de vencer o Junior Barranquilla por 3 a 0 na estreia da Libertadores, o Palmeiras entrará em campo com um pouco menos de pressão para vencer. Por causa dos altos preços, inclusive, o torcedor nem lotará o Allianz Parque. Roger declarou que sua prioridade de momento é a final do Estadual.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X ALIANZA LIMA

Data: 03 de abril de 2018, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: José Argote (Venezuela)
Assistentes: Carlos A. López e Luis Murillo (ambos da Venezuela)

PALMEIRAS: Jailson; Tchê Tchê (Marcos Rocha), Antônio Carlos, Thiago Martins e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Moisés (Bruno Henrique) e Lucas Lima; Keno, Willian e Borja
Técnico: Roger Machado
 
ALIANZA LIMA: Prieto; Cotrina, Godoy, Araujo e Duclós; Cruzado, Costa e Ascues; Ramirez, Velarde e Leyes. 
Técnico: Pablo Bengoechea

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos