Mano se irrita com pergunta e nega falar sobre possibilidade de eliminação

Do UOL, em Belo Horizonte

  • AFP PHOTO / DOUGLAS MAGNO

    Mano negou comentar sobre a possibilidade de eliminação inédita na fase de grupos

    Mano negou comentar sobre a possibilidade de eliminação inédita na fase de grupos

O empate de 0 a 0 contra a Universidad de Chile não foi o pior cenário para o Cruzeiro, mas também não melhorou as condições do time na Copa Libertadores. A equipe somou apenas seu segundo ponto em nove disputados e está a três do segundo colocado, correndo o risco de sofrer uma eliminação inédita em toda sua história no torneio. Mas essa possibilidade não passa pela mente de Mano Menezes. Questionado sobre o assunto em sua coletiva de imprensa, o treinador mostrou bastante irritação com uma pergunta sobre a atual situação do clube e negou falar sobre o assunto.

Assista aos melhores momentos aqui.

"Não vai ser (eliminado), não vamos falar sobre eliminação ainda. Nós vamos falar de eliminação agora por quê? Quando formos eliminados, você fala de eliminação. Não fomos eliminados. Quando chegar ao final das seis rodadas, vamos falar sobre o que produzimos de bom, de ruim e se atingimos ou não os objetivos. Agora é hora de falar sobre esse jogo, contra um adversário difícil de ser enfrentado. A equipe deu uma resposta boa, não conseguiu vencer porque isso acontece no futebol, mas teremos uma nova chance em casa, depois faremos nossas avaliações", comentou.

A nova chance em casa que se referiu o treinador é o reencontro com a Universidad de Chile, agora no Mineirão. Se vencer o jogo na semana que vem, a equipe mineira se igualará aos chilenos em número de pontos e ainda terá dois confrontos na chave, um dentro e outro fora de casa.

Em outro momento, Mano foi direto ao responder sobre a possibilidade de começar a partida com um atacante de área. O setor ofensivo do Cruzeiro entrou em campo com Rafinha, Thiago Neves e Arrascaeta, o que não é muito comum nesta temporada. No banco de reservas, o treinador tinha as opções de Rafael Sóbis e Sassá, mas este último só entrou em campo nos últimos 15 minutos, segundo o comandante, por não apresentar condições ideias para iniciar um jogo desde o início.

"Quando ele (Sassá) estiver pronto, vou colocá-lo (desde o início)", completou.

Com a derrota do Vasco no início da noite, a situação do grupo 5 fica da seguinte maneira: o Racing lidera com sete pontos, seguido pela Universidad de Chile, que tem cinco. O Cruzeiro ocupa a terceira posição com dois e o Vasco é o lanterna, com um. Antes de receber os chilenos no dia 26, a Raposa vai ao Rio de Janeiro visitar o Fluminense, pela segunda rodada do Brasileirão.

"Peço ao torcedor que mantenha a cabeça no lugar, que confie em quem precise confiar. Quem está do nosso lado sabe qual é o comportamento que o cruzeirense tem que ter nessas horas. Estaremos unidos como sempre estivemos nos momentos decisivos", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos