Vitória e melhor campanha com vaias mostra Palmeiras na "gangorra" em 2018

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Palmeiras foi vaiado no intervalo e ovacionado após vitória por 3 a 1 sobre o Junior

    Palmeiras foi vaiado no intervalo e ovacionado após vitória por 3 a 1 sobre o Junior

Entre a euforia e a revolta. É assim que pode ser definida a relação do Palmeiras em 2018 com grande parte de sua torcida, como ficou escancarado na vitória por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla na última quarta-feira (16), pela Libertadores. O resultado foi construído no segundo tempo e garantiu ao time alviverde a melhor campanha do torneio, mas no intervalo, com o placar em 0 a 0, o time ouviu pesadas vaias da maioria dos presentes ao Allianz Parque. Assista aos gols da partida.

A cobrança do palmeirense sobre o time é um tema antigo e já absorvido por quem está há mais tempo no clube. O goleiro Fernando Prass, por exemplo, que foi ovacionado ao pegar um pênalti no jogo, comentou sobre a ansiedade dos alviverdes, mas frisou que o apoio vindo das arquibancadas foi essencial nas conquistas recentes. No entanto, após um 2017 que teve muito investimento, mas nenhum título, essa "gangorra" na reação do torcedor parece ter aumentado.

Os números da temporada são amplamente favoráveis e sustentam o trabalho do técnico Roger Machado, que tem forte respaldo interno no clube. Mesmo assim, o time já viveu momentos de tensão na relação com a torcida, especialmente após derrotas para o arquirrival Corinthians. Já foram três neste ano, e a última delas, pela última rodada do Brasileirão, gerou cobranças na Libertadores mesmo com a equipe já classificada antecipadamente.

Antes de a bola rolar contra o Junior, a principal organizada do clube ofendeu Roger e pediu sua saída: "Roger, c..., fora do Verdão". A maior parte da torcida vaiou a manifestação da uniformizada, mas no intervalo a insatisfação foi generalizada, mesmo com a equipe não tendo jogado mal – criou pelo menos três chances claras de gol. Por fim, depois dos 90 minutos, houve festa e cantoria.

Borja, autor de três gols contra o time colombiano, é um personagem que exemplifica perfeitamente essa instabilidade. Muitas vezes criticado no Allianz Parque por perder chances, ele é o artilheiro da equipe na temporada, com 14 bolas na rede, e saiu ovacionado de campo na quarta-feira, mas sem reagir aos aplausos. Também não comemorou nenhum dos gols e encarou a torcida após o primeiro, mas justificou depois do jogo dizendo que fez isso porque é torcedor do Junior.

Situação semelhante aconteceu com Dudu recentemente. Capitão e um dos ídolos recentes do time, o camisa 7 não comemorou gol contra o Internacional na segunda rodada do Brasileiro e se disse chateado com o que considera cobranças exageradas da torcida. O atacante, aliás, vem sendo um dos jogadores que mais têm despertado insatisfação nas arquibancadas nas últimas semanas, o que se intensificou após a derrota mais recente para o Corinthians.

Com a melhor campanha na fase de grupos, o Palmeiras terá a vantagem de decidir em casa todos os duelos de mata-mata da Libertadores até uma eventual final. Os jogadores e Roger ressaltaram a importância de ter a torcida ao seu lato nos momentos cruciais da competição. O adversário nas oitavas de final será conhecido em 4 de junho, em sorteio organizado pela Conmebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos