Grêmio joga para virar brasileiro com mais vitórias na Libertadores

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • REUTERS/Diego Vara

    Cícero garantiu uma das 90 vitórias que o Grêmio já tem na história da Libertadores

    Cícero garantiu uma das 90 vitórias que o Grêmio já tem na história da Libertadores

O Grêmio recebe o Defensor-URU, nesta quarta-feira (23), para confirmar o primeiro lugar no grupo e uma das melhores campanhas da Libertadores de 2018. Só que o duelo também tem outro viés. Se confirmar o favoritismo e vencer o time de Montevidéu, o Tricolor se torna o clube brasileiro com maior número de vitórias na história do torneio sul-americano.

Até aqui, o Grêmio acumula 90 vitórias e divide o primeiro lugar deste ranking particular com o São Paulo - Palmeiras e Cruzeiro fecham o pódio.

Pode parecer mera estatística, recorte irrelevante, mas em um contexto onde fazer história virou obsessão a marca conta muito. Renato Gaúcho tem usado esse gatilho para manter o grupo com a corda esticada. Quebrar recordes, acumular títulos e, por consequência, gravar nomes na memória do clube e no inconsciente coletivo é, sim, uma meta na Arena.

O Grêmio participa da Libertadores pela 18ª vez e nesse período jogou 174 vezes. A partida que fecha a agenda do clube no grupo 1 da edição 2018 é histórica também para Renato. O treinador chegará ao número de 30 compromissos à frente do Tricolor no torneio.

No plano do jogo, ganhar tem uma importância simples: garantir a melhor campanha na chave. E colar no Palmeiras, dono do melhor aproveitamento da atual etapa da Libertadores.

"O Renato vem salientando isso para a gente desde que a Libertadores começou. É um ponto que ele vem batendo mesmo. A gente pode ficar em segundo lugar no geral e é importante mesmo. A Libertadores é difícil e decidir fora é mais complicado. Respeitamos o Defensor, mas o Grêmio chegou em um ponto onde pode concluir objetivo", disse Bressan.

Mesmo que em 2017 o Grêmio tenha conquistado o tricampeonato na Argentina, jogar a segunda partida de um mata-mata como mandante agrada mais. E nem é pelo ambiente. Pesa mais a estratégia mesmo.

"Primeiro jogo fora a gente joga mais tranquilo, a responsabilidade é do time da casa e aí podemos botar nosso modelo de jogo em prática. E decidir com o nosso torcedor é muito bom", resumiu Luan.

A missão de vencer o Defensor é difícil pelo contexto. O Grêmio tem cinco jogadores entregues ao departamento médico (Arthur, Everton, Alisson, Jael e Michel), mais Geromel com a seleção brasileira e Bruno Cortez preservado por sequência de jogos. Hernane Brocador, mesmo recuperado de lesão, não foi relacionado, e vai jogar amistoso com o time de transição para recuperar ritmo. E André, principal contratação do ano, ainda não pode atuar por conta da inscrição. Com isso, Thonny Anderson e Cícero disputam vaga no ataque.

Para o Defensor, o jogo na Arena do Grêmio vale classificação à Copa Sul-Americana. Os uruguaios precisam pontuar para terminar em terceiro lugar no grupo e conseguir a vaga. O Monagas-VEN enfrenta o Cerro Porteño e é o concorrente direto dos uruguaios.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X DEFENSOR-URU

Data e hora: 23/05/2018 (quarta-feira), às 19h15 (Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Transmissão na TV: Sportv
Árbitro: Nicolás Gallo (COL)
Auxiliares: Humberto Clavijo (COL) e Dionisio Ruiz (COL)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Bressan, Kannemann e Marcelo Oliveira; Jailson, Maicon; Ramiro, Luan e Lima; Thonny Anderson (Cícero)
Técnico: Renato Gaúcho

DEFENSOR-URU: Gastón Rodríguez; Suárez, Correa, Maulella (Carrera) e Cougo; Cardacio, Rabuñal, Benavídez e Cabrera; Castro e Rivero
Técnico: Eduardo Acevedo

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos