Ameaçado ou bancado? Jair precisa fazer Santos vencer para não ter sustos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Jair Ventura foi cobrado internamente apesar de apoio público de presidente do Santos

    Jair Ventura foi cobrado internamente apesar de apoio público de presidente do Santos

O Santos tem, nesta quinta-feira (24), mais do que a oportunidade de se firmar entre os oito melhores classificadas para a segunda fase da Copa Libertadores da América. A partida diante do Real Garcilaso, às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro, é a chance de o técnico Jair Ventura mostrar para os dirigentes santistas que pode permanecer no cargo para o restante da temporada.

Publicamente, o clube assegura que Jair está "tranquilo no cargo", de acordo com o presidente José Carlos Peres, mas o UOL Esporte apurou que o treinador foi submetido a duas reuniões com a diretoria santista somente nesta semana. O técnico foi cobrado por melhor desempenho em campo e, principalmente, por uma postura mais ofensiva.

Jair Ventura, inclusive, foi alertado que a diretoria sofre muita pressão por parte de conselheiros e torcedores para demiti-lo e, por isso, espera uma reação rápida. A cúpula santista aguarda uma vitória convincente já nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.  

Após a derrota no clássico para o São Paulo, a quarta em seis jogos e a quinta consecutiva fora de casa, Jair e Peres se reuniram pela primeira vez no início desta semana para uma conversa particular. A segunda reunião ocorreu nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé.

No encontro, o dirigente pediu ao técnico por uma mudança de comportamento. Deseja ver mais dedicação da equipe nas partidas e um futebol agressivo, que remeta ao "DNA ofensivo" cobrado do treinador desde a sua apresentação. Vencer e também convencer contra o Garcilaso, portanto, torna-se fundamental.

O desejo de José Carlos Peres é não realizar nenhuma mudança no cargo antes da paralisação para a Copa do Mundo. Peres, inclusive, prometeu ao treinador que o seu cargo não corria riscos e que o clube buscará incessantemente por reforços. No entanto, mais tropeços podem fazer crescer a "sombra" de Zé Ricardo, do Vasco, uns dos preferidos da diretoria para substituir Jair Ventura.

Jair tem uma sequência com dois jogos como mandante para provar que pode permanecer e, enfim, fazer o Santos deslanchar na temporada.

O Garcilaso, o primeiro deles, é considerado um "alvo fácil" por praticamente já não ter mais chances de classificação para as oitavas de final e ter sofrido derrotas consideráveis como visitante: perdeu por 3 a 0 para o Estudiantes, na Argentina, e por 4 a 0 para o Nacional, no Uruguai.

Além disso a equipe só venceu uma vez na competição, justamente o Santos, quando conseguiu fazer 2 a 0 em 1º de março, na estreia santista na Libertadores, se beneficiando da altitude de 3.400m de Cusco.

Na sequência, a equipe tem um teste importante contra o Cruzeiro, no domingo, no estádio do Pacaembu. Vencer os mineiros, campeões estaduais e com futebol consolidado sob o comando do técnico Mano Menezes, pode ajudar a elevar o moral de Jair.

Mesmo com pouco tempo no cargo, apenas cinco meses no clube, Jair vem sofrendo constantemente com as pressões. Nas últimas semanas, esteve ameaçado após a goleada por 5 a 1 sofrida para o Grêmio, fora de casa. A derrota gerou uma série de protestos e cobranças da torcida.

A resposta do treinador foi dada com uma vitória convincente, pelo mesmo placar, diante do Luverdense-MT, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, e no 3 a 1 sobre o Paraná. Na ocasião, Jair teve participação fundamental para a construção do primeiro resultado com alterações na equipe como as entradas do lateral direito Victor Ferraz e do meia Vitor Bueno.

Uma nova sequência de tropeços, porém, incluindo derrotas para o mesmo Luverdense-MT e no clássico para o São Paulo, trouxeram a pressão à tona novamente.

"Temos que continuar assim, nos cobrando, e conseguir as vitórias nas duas próximas partidas em casa, e depois focar em voltar a vencer fora contra o Atlético-PR. O foco agora é vencer o Garcilaso e garantir a liderança do nosso grupo", disse o zagueiro David Braz.

Jair ainda não conseguiu embalar no novo clube. Em 28 jogos, tem quase o mesmo número de vitórias e derrotas, 12 e 11, respectivamente, a aproveitamento considerado baixo, apenas 48,8%. Nos últimos seis, o treinador perdeu quatro vezes.

Para a partida, o Santos não poderá contar com o volante Alison, com uma lesão no joelho direito. Considerado um dos homens de confiança de Jair Ventura, o camisa 5 é o único titular absoluto do atual meio de campo do Santos, setor mais questionado em 2018. O provável substituto deve ser o experiente Renato, mas também há chances de Yuri, com mais poderio de marcação, atuar.

Além de Alison, Jair segue sem contar com os atacantes Bruno Henrique, na parte final de recuperação após lesão na coxa esquerda, e Arthur Gomes, com dores no tornozelo esquerdo. O volante Guilherme Nunes, candidato a substituir Alison, também está vetado devido a lesão no adutor da coxa direita. Se não bastasse, Victor Ferraz voltou a sentir dores lombares e não treinou na última quarta-feira. Ele é dúvida para o confronto e caso não jogue, Jair escalará Daniel Guedes.

FICHA TÉCNICA
Santos x Real Garcilaso-PER

Data
: 24 de maio de 2018, quinta-feira
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (Venezuela)
Assistentes: Luis Murillo e Jorge Urrego (ambos da Venezuela)

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Renato (Yuri), Jean Mota e Vitor Bueno; Rodrygo, Eduardo Sasha e Gabriel Barbosa. Técnico: Jair Ventura

Real Garcilaso-PER: Ortiz; Arismendi, Dulanto, Cossio e Lojas; Mendoza, Ramua, Vidales, Santillan e Archimbaud; Oscar Franco. Técnico: Tabaré Silva.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos