UOL Esporte Liga dos Campeões
 
21/10/2009 - 18h37

Em jogo eletrizante, Pato faz dois e Milan derrota Real Madrid de virada por 3 a 2

Real Madrid e Milan honraram as expectativas em torno do jogo disputado nesta quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Em pleno Santiago Bernabéu, o time italiano derrotou os donos da casa por 3 a 2 de virada, com dois gols de Alexandre Pato - um deles nos instantes finais do duelo. Kaká, que se reencontrou com seu ex-clube pela primeira vez, teve uma atuação de pouco brilho.

Paul White/AP
Pato foi o destaque da eletrizante vitória do Milan sobre o R. Madrid ao marcar dois gols
Sebastian Derungs/AFP
Heinze (e) manteve vivas as esperanças de classificação do Olympique de Marselha
FOTOS DOS JOGOS DESTA QUARTA
GRAFITE É EXPULSO POR AGRESSÃO
LAMPARD DECIDE PARA O CHELSEA
WENDEL BRILHA E BORDEAUX VENCE
LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE FUTEBOL
A partida começou em ritmo lento, com as duas equipes preocupadas em se estudar. A cada vez que Ronaldinho tocava na bola, a torcida merengue o vaiava. O jogador rossonero tentou algumas jogadas de efeito, mas sem tanta precisão. Já os donos da casa preferiram tocar a bola como forma de envolver a defesa rival.

Aos 13 minutos, os donos da casa criaram a primeira chance de perigo. Sergio Ramos cruzou da direita, Granero desviou e Dida defendeu. Pouco depois, os torcedores reclamaram com razão. O juiz belga Franck de Bleeckere deixou de marcar um pênalti claro de Zambrotta em Benzema.

Os Merengues saíram na frente com uma imensa colaboração de Dida. Aos 18, Granero bateu de fora da área sem muita força. O goleiro brasileiro se atrapalhou para pegar a bola e a deixou escapar. Raúl agradeceu o presente e abriu o placar para o Real Madrid.

A partida seguiu sem grandes oportunidades para as duas equipes. Com Kaká discreto em campo, o Real Madrid manteve um eficiente sistema de marcação, que impediu o Milan de chegar ao ataque com perigo. Nos acréscimos, Marcelo arriscou de fora da área e, desta vez, Dida fez uma boa defesa.

Na segunda etapa, o Real Madrid quase ampliou logo aos dois minutos. Raúl recebeu, a defesa do Milan se abriu e o camisa sete chutou cruzado para fora. A defesa rossonera continuou dando espaços; aos seis, Benzema arriscou de longe e Dida espalmou.

Com liberdade, Raúl avançou pela esquerda aos onze, mas pegou mal e facilitou a defesa de Dida. Enquanto isso, Ronaldinho e Pato encontravam dificuldades para escapar da marcação dos Merengues. Quando o Real Madrid tinha o controle da partida, o Milan chegou ao empate.

Aos 17, Pirlo acertou um belo chute da intermediária e mandou a bola no canto direito de Casillas. Os visitantes se animaram: no minuto seguinte, Zambrotta chutou de longe para fora. A virada veio aos 21. Ambrosini lançou do seu campo de defesa; sem tocar na bola, Pato driblou Casillas e só teve o trabalho de tocar para a meta vazia.

Pierre Philippe Marcou/AFP
Kaká teve atuação discreta em reencontro com seu ex-clube no Santiago Bernabéu
Juanjo Martín/EFE
Ronaldinho foi vaiado pela torcida da casa todas as vezes quando tocava na bola
NA RÚSSIA, MAN UTD BATE CSKA
O QUE ACHOU DA RODADA DA LIGA?
APÓS PANCADA, CRIS VOLTA A LYON
O Real Madrid não levou muito tempo para se recuperar do golpe e voltou a pressionar o rival. Kaká, aos 28, chutou para fora. O empate veio aos 31, em jogada ensaiada. Raúl cobrou escanteio para Drenthe bater rasteiro de fora da área, sem chances de defesa para Dida.

A partida se tornou eletrizante. O Real Madrid esteve a ponto de virar novamente aos 38. Kaká chutou de dentro da área e Dida não segurou; Raúl deu um toque sutil para encobrir o goleiro. Nesta tirou em cima da linha. No minuto seguinte, o Milan deu o troco.

Pato chutou rasteiro e Casillas defendeu com os pés. Em seguida, em cobrança de escanteio, Thiago Silva marcou de cabeça, mas o árbitro anulou a jogada, alegando falta do zagueiro brasileiro - para revolta dos jogadores da equipe italiana. O Milan, porém, logo se recuperou.

Aos 43, Seedorf cruzou na medida para Pato, no limite da linha de impedimento, completar para as redes. Dida ainda salvou o Milan ao espalmar um chute de Xabi Alonso aos 44. Um desfecho emocionante para uma partida tão aguardada.

Olympique de Marselha mantém esperanças

Na outra partida da chave, o Olympique de Marselha segue vivo na disputa por uma vaga nas oitavas de final. A equipe francesa, que havia perdido seus dois primeiros jogos, obteve sua primeira vitória no grupo ao derrotar o Zürich fora de casa por 1 a 0.

Logo aos três minutos, o OM foi às redes em uma cabeçada de Brandão, mas o gol foi anulado - o atacante estava impedido na jogada. O Zürich só criou sua primeira oportunidade aos 21, em chute de longe de Gajic, para fora. Com seguidas faltas (dez nos primeiros 45 minutos), os donos da casa deixaram o jogo truncado.

O Olympique conseguiu se desvencilhar da boa marcação da defesa do Zürich nos cinco minutos finais da primeira etapa. Lucho González e Hilton finalizaram para fora. Aos 44, Niang fez boa jogada pela direita e cruzou para Brandão; o brasileiro desviou e o goleiro Leoni fez boa defesa.

Na segunda etapa, o Olympique de Marselha continuou melhor em campo. A equipe francesa saiu na frente aos 24 minutos. Lucho González cruzou da direita e Heinze pegou de primeira para marcar. O OM terminou a partida com um a menos, após a expulsão de Bonnart.

Após os jogos desta quarta-feira, o Milan alcançou o Real Madrid na liderança do grupo C. As duas equipes estão com seis pontos. Zürich e Olympique de Marselha vêm a seguir, ambos com três.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host