Liga dos Campeões 2015/16

City supera lesões e vai pela primeira vez às quartas da Liga dos Campeões

Do UOL, em São Paulo

Pela primeira vez na história, o Manchester City está nas quartas de final da Liga dos Campeões da Europa. Após vencer o Dinamo de Kiev por 3 a 1 no jogo de ida, os comandados de Manuel Pellegrini jogaram com o regulamento debaixo do braço e ficaram no 0 a 0 com o time ucraniano, nesta terça-feira (15), no Etihad Stadium.

Com a classificação história, o City espera o sorteio da Uefa para saber quem enfrenta nas quartas de final. Os dois últimos classificados serão definidos nesta quarta (16). E o sorteio acontece na sexta (18).

BRUXA SOLTA!

Phil Noble / REUTERS

Mesmo com ampla vantagem no mata-mata contra o Dinamo, o Manchester City viu a partida ganhar contornos dramáticos antes da metade do primeiro tempo. A dupla de zaga titular, Kompany e Otamendi, foi substituída por lesão. O primeiro, que também é capitão do time, sentiu a coxa e saiu aos seis minutos de jogo. Aos 22 minutos, foi a vez de Otamendi deixar o gramado por contusão. Pior: no próximo domingo, os comandados de Pellegrini enfrentam o United no clássico de Manchester.

O MELHOR

Jason Cairnduff / REUTERS

Yaya Touré. Diante da sonolência do City, o meio-campista marfinense foi o único que tentou acelerar o ritmo do jogo. Segurou a bola, inverteu o jogo, chamou a aproximação dos meias… Bateu faltas perigosas e deu bons passes que poderiam ter terminado com bola na rede, pricipalmente em chute de Navas. Touré foi não só o mais ativo, como também o mais criativo.

O PIOR

Jason Cairnduff / REUTERS

Jesus Navas. Disperso, o meia espanhol errou passes infantis, chutou na trave a melhor chance do City no jogo e não conseguiu se impor na meia direita mesmo quando havia espaços. Ainda protagonizou lances bizonhos. Num deles, foi lançado na ponta direita e tentou ajeitar a bola de cabeça para um companheiro, mas acabou mandando para lateral. Retrato de Navas na partida.

MÃO DO TÉCNICO

Ao perder sua dupla de zaga titular, Pellegrini botou em campo Mangala e o veterano Demichelis. Segurou os laterais e recuou a primeira linha do meio de campo para proteger melhor o sistema defensivo. E o jogo ficou morno, com o City trocando passes acomodado e o Dinamo sem acreditar na virada. No segundo tempo, o técnico avançou as linhas e pressionou a saída de bola do Dinamo. O time até melhorou, mas não chegou às redes em parte devido à postura um tanto indolente.

OPINIÃO DO COMENTARISTA

"O jogo foi muito abaixo da expectativa. Do City até era esperado certo comodismo pela vantagem, mas o Dinamo tinha que ter ido mais pra cima, aproveitado a saída da dupla de zaga. Tinha que ter acreditado mais o time ucraniano", afirmou o ex-jogador Sávio, comentarista do Esporte Interativo.

TUÍTES DO JOGO

UOL Cursos Online

Todos os cursos