Liga dos Campeões 2015/16

Sem C. Ronaldo, Real pressiona City em jogo morno, mas para em Joe Hart

Do UOL, em São Paulo

Pouco futebol e muita marcação. Assim foi a primeira partida entre Manchester City e Real Madrid, na Inglaterra, pela semifinal da Liga dos Campeões, nesta terça-feira (26). Sem Yaya Touré, no clube inglês, e Cristiano Ronaldo, no espanhol, as duas equipes pouco conseguiram produzir e encerraram o primeiro encontro com um insosso 0 a 0.

Nas poucas chances claras da partida, o Real Madrid parou três vezes em Joe Hart. Sergio Ramos, Casemiro e Pepe viram suas chances serem anuladas por grandes defesas do goleiro inglês.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (4), no Santiago Bernabéu. Um empate com gols classificará o Manchester City, enquanto um novo 0 a 0 levará o jogo para a prorrogação. Se houver um vencedor no jogo de volta, este estará classificado para a grande final.

Nesta quarta-feira (27), Atlético de Madrid e Bayern de Munique começam a decidir a outra semifinal. A primeira partida acontecerá na casa espanhola, no Vicente Calderón.

45 MINUTOS, NENHUMA FINALIZAÇÃO E MUITAS FALTAS

Darren Staples/Reuters

A partida entre Manchester City e Real Madrid prometeu muito, mas entrou pouco no primeiro tempo. Com claras dificuldades de criação, as equipes terminaram os 45 minutos iniciais sem conseguirem nem uma finalização perigosa sequer. No único lance que não parou na defesa, Benzema recebeu dentro da área e chutou muito por cima do gol de Joe Hart.

Se as finalizações não marcaram presença no primeiro tempo, as faltas apareceram até demais. Em um jogo truncado, as duas equipes somaram 16 faltas nos primeiros 45 minutos, sendo 10 do time inglês. Pepe e David Silva foram advertidos com cartões amarelos.

SEGUNDO TEMPO MELHORA E HART SALVA O CITY

Phil Noble/Reuters

Depois de um primeiro tempo muito ruim, a segunda etapa teve um pouco mais de emoção para o lado espanhol. Aos 9 minutos, após cobrança de escanteio, Sergio Ramos se deslocou bem e cabeceou em cima de Joe Hart. E não seria só nesse lance que o goleiro inglês brilharia.

Na parte final do segundo tempo, Hart brilhou duas vezes em jogadas de escanteio do Real Madrid. Na primeira, aos 33 minutos, Casemiro subiu mais que a marcação e cabeceou para o goleiro defender com o pé. Quatro minutos mais tarde, após desvio na primeira trave, Pepe dominou e chutou para grande defesa de Hart.

REAL SOFRE SEM SUA PRINCIPAL ESTRELA

Phil Noble/Reuters

Cristiano Ronaldo foi a principal ausência da primeira partida da semifinal. Ainda com o incômodo muscular que o tirou do jogo contra o Rayo Vallecano, no sábado (23), pelo Campeonato Espanhol, o português foi poupado do duelo com o City, dando lugar a Lucas Vázquez. "Está muito sensível. Vou esperar pelo próximo jogo. Se fosse uma final, jogava", afirmou o atacante ao "Marca", antes da partida.

Sem sua principal estrela, o Real Madrid apresentou muitos problemas para conseguir penetrar a área do Manchester City. Sem a mesma velocidade, Vázquez pouco conseguia ajudar nas jogadas de ataque, fazendo com que Bale se movimentasse mais do que normalmente faz.

"O time do Real sem o CR7 é um time normal. É um bom time, mas como o City também é. Com o Cristiano Ronaldo tem uma genialidade, é o melhor jogador do mundo", analisou Walter Casagrande, durante a transmissão da "Globo".

O CRAQUE SOLITÁRIO DO CITY

Jason Cairnduff/Reuters

Sem a companhia de Yaya Touré e com a saída de David Silva, Kevin De Bruyne foi um guerreiro solitário no Manchester City. Caindo mais pelas pontas do que de costume, o belga era o armador de praticamente todas as tentativas de ataque do clube inglês. Muito marcado e ao lado de um Agüero pouco inspirado, no entanto, não conseguiu fazer com que o City saísse com vantagem da partida dentro de casa.

PREOCUPAÇÃO PARA A PARTIDA DE VOLTA

Oli Scarf/AFP Photo

Sem já contar com Yaya Touré, o Manchester City ganhou mais uma dor de cabeça para o decorrer da temporada. Um dos principais nomes da criação de jogadas da equipe, David Silva deixou a partida contra o Real Madrid, ainda no primeiro tempo, sentindo muitas dores. Sob aplausos dos torcedores presentes, o espanhol apresentou dificuldades para caminhar até a lateral do campo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos