Liga dos Campeões 2015/16

Com golaço, Atlético bate Bayern e sai na frente na semi da Champions

Do UOL, em São Paulo

Como foi contra o Barcelona, o Atlético de Madri impôs seu mando de campo e derrotou o Bayern de Munique por 1 a 0 nesta quarta-feira (27), no jogo de ida da semifinal da Liga dos Campeões. Realizado no Vicente Calderón, o duelo ficou marcado pelo ótimo primeiro tempo dos mandantes, que sofreram para segurar a pressão rival na etapa final.

O resultado permite que os espanhóis se classifiquem com qualquer empate na partida de volta, que será na próxima terça-feira (3), na Allianz Arena, em Munique. De lá sairá o primeiro finalista da Champions, pois o segundo confronto entre Real Madrid e Manchester City, que empataram o primeiro por 0 a 0, definem o outro time que avança na quarta-feira (4), no Santiago Bernabéu.

Quem brilhou: Saúl decide na individualidade

Time sem craque, mas com atletas qualificados, o Atlético de Madri saiu vitorioso graças à jogada individual de Saúl aos 11min. Bernat e Xabi Alonso tomaram um baile do espanhol, que gingou para cima de Alaba e finalizou colocado para marcar o único gol do jogo. O meia do time madrileno se dedicou na marcação a partida inteira, assim como seus companheiros de equipe, que seguraram o resultado na etapa complementar, quando o Bayern cresceu. Ele deixou o campo aos 39min do segundo tempo, desgastado.

Quem decepcionou: Thiago é discreto e substituído

Como principal criador do meio-campo do Bayern de Munique, o espanhol Thiago foi discreto e incapaz de penetrar a retranca do Atlético de Madri com passes em profundidade. Ele teve aproveitamento de 89% nos 56 passes que tentou, mas estes não fizeram parte de lances cruciais da partida. Buscando o gol, Guardiola o tirou de campo para entrada de Muller.

AFP PHOTO / JAVIER SORIANO

Douglas Costa tenta, mas vive dia pouco inspirado

Único brasileiro do Bayern, o camisa 11 atuou pelo lado esquerdo do meio-campo e foi um dos principais jogadores do time alemão. Com Lewandowski pouco acionado, Douglas Costa foi o jogador de frente que mais deu trabalho à defesa rival nos primeiros 45 minutos, mas, como todo o time, não teve vida fácil e sofreu para criar jogadas. Com a entrada de Ribery, o brasileiro foi para direita e ficou com uma função mais incisiva, aparecendo na área adversária em situações de finalização, porém teve dificuldades no duelo com o compatriota Filipe Luís, seguro na marcação.

AP Photo/Francisco Seco

O jogo do Atlético: eficaz e perto de final

O Atlético de Madri fez como no confronto com o Barcelona mesmo sem contar com seu capitão, o zagueiro Godin, machucado. Recuado sem a bola e, ao retomar a posse, preparado para chegar ao gol adversário com o menor número de toques possível, o time espanhol foi muito mais eficiente e saiu na frente cedo, com o golaço de Saúl. O desempenho não foi mantido no segundo tempo, quando o Bayern cresceu. No entanto, em um contragolpe, Fernando Torres teve a chance de aumentar a vantagem e fazer mais um golaço, parando na trave. 

A atuação do Bayern: começo fraco, 2º tempo agressivo

Mesmo fora de casa, o Bayern fez o que é esperado de um time treinado por Guardiola. Passou mais tempo com a bola (69%), fez longas trocas de passes e ficou na intermediária adversária a maior parte do jogo. No entanto, a pontaria não foi das melhores e Oblak teve pouco trabalho, especialmente no primeiro tempo. A objetividade apareceu na segunda etapa, conforme os atletas do Atlético sentiram o cansaço de passar a maioria do jogo na marcação. Chances foram criadas, porém a trave e Oblak impediram alterações no placar. Vidal foi o melhor jogador dos alemães, iniciando jogadas e aparecendo para concluí-las. O chileno foi quem perdeu a última oportunidade de empatar, já nos acréscimos.

Reuters / Sergio Perez Livepic

Com estrelas no banco, Guardiola vê time pouco objetivo

O Bayern de Munique começou jogando sem Ribery, Robben e Muller, todos preteridos ao banco de reservas. Guardiola apostou em Douglas Costa e no jovem Coman, que foi mal no primeiro tempo, travando boas investidas pelo lado direito por hesitação e tomando decisões equivocadas que impediram que os alemães chegassem perto do gol. A situação melhorou na etapa complementar, quando Ribery entrou no lugar de Coman e Muller substituiu Thiago.

Simeone empata histórico contra Guardiola

Técnico do Atlético de Madri desde 2011, Simeone só havia enfrentado um time treinado por Guardiola uma vez, em seu primeiro ano no comando do clube madrileno. O único encontro entre os dois foi na temporada 2011/12, pelo Campeonato Espanhol, com vitória do Barcelona por 2 a 1. Com o resultado desta quarta-feira, o argentino igualou o histórico com uma vitória para cada lado.

Torcida apaixonada

Os torcedores do Atlético de Madri já impressionaram no jogo contra o Barcelona, na volta das quartas de final da Champions. Nesta quarta-feira, no entanto, as arquibancadas do Vicente Calderón deram mais um show. Mosaico de ponta a ponta, com os dizeres "Te Amo". Motivação e tanto para a aguerrida equipe de Simeone deixar tudo em campo mais uma vez.

FICHA TÉCNICA

Atlético de Madri 1 x 0 Bayern de Munique
Data:
27/4/2016
Local: Vicente Calderón, em Madri (Espanha)
Hora: 15h45 (de Brasília)
Cartões amarelos: Saúl (Atlético de Madri); Douglas Costa, Benatia, Neuer (Bayern de Munique)
Gols: Saúl, 11' do primeiro tempo (Atlético de Madri)

Atlético de Madri: Oblak, Juanfran, Giménez, Savic, Filipe Luís; Gabi, Augusto, Saúl (Partey) e Koke; Griezmann e Torres. Técnico: Diego Simeone

Bayern de Munique: Neuer, Lahm, Javi Martínez, Alaba e Bernat (Benatia); Xabi Alonso; Douglas Costa, Thiago (Muller), Vidal e Coman (Ribery); Lewandowski. Técnico: Pep Guardiola

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos