Liga dos Campeões 2015/16

Torres se distancia da seleção de Del Bosque: "É melhor que chamem o Saúl"

Do UOL, em São Paulo

  • AFP

Fernando Torres já não defende a Espanha desde 2014, quando a seleção de seu país foi eliminada da Copa do Mundo ainda na fase de grupos. De lá para cá, o atacante deixou o Chelsea e se aventurou no Milan antes de retornar ao clube que o revelou, o Atlético de Madri. Ainda na briga pelo título da Liga dos Campeões, que seria o segundo de sua carreira, o artilheiro não demonstrou saudades da Fúria.

"Não sei nada sobre a seleção há dois anos. Não me sinto mais parte dela e nem preciso de explicações para isso. É a realidade, não preciso de justificativas e nem as quero. A verdade é que sou um torcedor da seleção, mas não me cabe falar sobre o time porque já não sou mais parte dele", manifestou-se à rádio Marca.

Após as reações surpresas dos repórteres, Torres rapidamente tratou de negar qualquer desentendimento com o técnico Vicente del Bosque. "Não peço que me chamem, tampouco que não me chamem. O que decidirem está bem decidido. Não tenho nenhum problema com o Del Bosque ou com a Federação. É melhor que chamem o Saúl", pontuou o atacante em tom de brincadeira.

Aos 21 anos, Saúl é tratado como joia pela imprensa espanhola. O jogador anotou o gol da vitória do Atlético de Madri sobre o Bayern de Munique nesta quarta-feira, pela partida de ida das semifinais da Champions League, e tomou de assalto os noticiários europeus. Especula-se que o Barcelona tenha interesse em seu futebol.

"O Bayern continua sendo favorito, mas estamos preparados para competir contra qualquer um. Eu gosto de jogar a volta da Champions fora de casa", disse Torres. O confronto de volta está marcado para a próxima terça-feira, dia 3 de maio, na Allianz Arena. Campeão europeu pelo Chelsea em 2011/2012, o atacante espanhol quer mais. "O passado é passado, não creio que a Champions nos deva algo. É a oportunidade de escrever a nossa história", comentou.

UOL Cursos Online

Todos os cursos