Liga dos Campeões 2015/16

Mais jovem a fazer gol na Liga dos Campeões se aposentou aos 29 anos

Do UOL, em São Paulo

  • Michael Steele/Getty Images

Quando o Olympiacos levou 5 a 1 do Rosenborg na Liga dos Campeões de 1997, a principal notícia não foi a goleada em si, mas o autor do gol de honra. Aos 17 anos e 195 dias, o ganês Peter Ofori-Quaye desbancava ninguém menos do que Andriy Shevchenko como o jogador mais jovem a marcar na competição. O recorde está em vigor até hoje. Poderia ser o começo de uma trajetória promissora, mas marcou o declínio de uma carreira que acabou bem antes do que se esperava.

Depois do gol que escreveu seu nome na história, nada mais deu certo para aquele atacante rápido e habilidoso que se mudou para a Europa com apenas 15 anos. Esta era a idade que ele tinha quando fez sua estreia como profissional defendendo o modesto Kalamata, da Grécia. Rapidamente virou o destaque do time e foi comprado pelo Olympiacos por US$ 3,5 milhões, para jogar ao lado do ídolo santista Giovanni.

Reprodução

As boas atuações na Grécia e o gol histórico na Liga dos Campeões atraíram o interesse de clubes como Juventus e Real Madrid. Mas os olheiros se frustraram com o que viram a seguir. O sérvio Dusan Bajevic, técnico do Olympiacos na época, preferiu escalar o veterano Siniša Gogi, de 35 anos, como centroavante isolado. Dizia que Ofori-Quaye precisava ser lançado com calma, aos poucos. O ganês amargou o banco de reservas nas temporadas seguintes.

Para piorar, sofreu uma grave lesão no joelho, e a cirurgia realizada em 2001 não resolveu o problema. Seu rendimento caiu, e na hora de renovar o contrato, em 2003, o Olympiacos ofereceu metade do salário que ele recebia. Ofori-Quaye recusou a proposta: "Sabia que conseguiria um acordo melhor em qualquer outro lugar", relembrou em entrevista ao jornal ganês Graphic Sports.

Ben Radford/Getty Images
Atacante defendeu a seleção de Gana durante a Copa Africana de Nações de 2000

Não conseguiu. Ficou dois anos sem jogar futebol, tentando tratar de vez a lesão no joelho. Para manter o ritmo, treinava com o Liberty Professionals, de Gana. Voltou a disputar um jogo oficial apenas em 2005, pelo Creta, da Grécia. Passaria pelo futebol israelense antes de chegar ao Limassol, de Chipre, onde disputou sua última partida, em 2009. Sua carreira terminava aos 29 anos, mas ele se recusou a admitir.

Em 2011, foi contratado pela última vez. Quando assinou com Bechem United, de Gana, Oforii-Quaye se disse livre das lesões. Na época, declarou: "Não estou aqui para encerrar minha carreira. Vim para recomeçá-la". Mais uma vez, aconteceu o contrário. Um ano depois, foi embora sem ter disputado um jogo sequer. Desde 2012, está sem clube. Aos 36 anos, joga apenas quando é convidado para amistosos beneficentes.

UOL Cursos Online

Todos os cursos