Liga dos Campeões 2015/16

No sacrifício, C. Ronaldo troca fiasco por brilho e já quer Bola de Ouro

João Henrique Marques

Do UOL, em Milão

Cristiano Ronaldo teve atuação ruim nos 120 minutos da decisão da Liga dos Campeões. Só que a imagem que fica é a do português rasgando a camisa e comemorando o gol do título na decisão por pênaltis. O cenário só foi possível graças ao esforço físico.

O atacante estava claramente "travado". Ganhou poucos confrontos individuais, errou passes que não costuma falhar e nem sequer cobrava faltas – Bale ficou com a função quase sempre -.  

"Psicologicamente me senti bem, mas obviamente que algumas vezes meu corpo não acompanhou. Tive alguma dificuldade por aquilo que aconteceu nos últimos dias (lesões), mas não vejo isso como desculpas. Tentei ajudar a equipe, corri, lutei, ganhei que era o mais importante", disse Cristiano Ronaldo.

A presença em campo com a imagem histórica agora pesam a favor do português na luta para retomar a Bola de Ouro, o prêmio de melhor jogador do mundo concedido pela Fifa.  A eleição acontece somente em janeiro, mas ganhar a Liga dos Campeões costuma ter peso determinante na escolha.

A conquista seria a de número 4 do português – ganhou também em 2008, 2013 e 2014 – e o deixaria novamente a apenas um de distância de Lionel Messi.

"Virá de forma natural (a Bola de Ouro). Sou o melhor marcador da Champions (Liga dos Campeões) e a conquistamos. Só que não estou obcecado por isso˜, avisou Cristiano, autor de 16 gols, nos 13 jogos do Real na competição.

"Tive uma visão de que marcaria um gol da vitória, e foi exatamente o que aconteceu. Pedi para Zidane cobrar o quinto (pênalti). Estou muito feliz, é um momento especial ganhar a terceira Champions, É um momento mágico", finalizou Cristiano Ronaldo. 

UOL Cursos Online

Todos os cursos