Barça sofre sem Messi, mas vira na Alemanha com assistência de Neymar

Do UOL, em São Paulo

  • Michael Probst/AP

    Neymar comemora vitória fora de casa do Barcelona

    Neymar comemora vitória fora de casa do Barcelona

Depois de massacrar o Celtic por 7 a 0 em sua estreia na Liga dos Campeões, o Barcelona teve um jogo bem mais difícil nesta quarta-feira (28). Fora de casa e desfalcado de seu principal astro, o lesionado Lionel Messi, o time espanhol sofreu para vencer de virada o Borussia Mönchengladbach, da Alemanha, por 2 a 1.

Arda Turan e Gerard Piqué fizeram os gols da equipe catalã. Já Neymar, que teve boa atuação, contribuiu com uma linda assistência para o gol do meia turco. Quem abriu o placar para o time alemão foi o belga Thorgan Hazard, irmão mais novo de Eden Hazard, do Chelsea.

O resultado mantém o Barça na liderança do Grupo C, com seis pontos. O próximo duelo é com o Manchester City de Pep Guardiola, em 19 de outubro, no Camp Nou. O time inglês empatou com o Celtic por 3 a 3 e soma quatro pontos.

Neymar chama o protagonismo e é o melhor do Barça

Michael Probst/AP

Sem Lionel Messi, coube a Neymar chamar a responsabilidade. E ele cumpriu a tarefa, sendo o melhor jogador do Barça. Começou ocupando o espaço pelo lado direito do ataque, normalmente reservado ao argentino, e apareceu com perigo duas vezes: primeiro em um chute fraco, de primeira, que o goleiro Sommer defendeu, e depois em um passe sensacional para Suárez, que desperdiçou o lance. Depois que voltou à ponta esquerda, Neymar deu uma assistência espetacular para o gol de empate, marcado por Arda Turan.

Substituto de Messi, Alcácer decepciona de novo

Martin Meissner/AP

Em seu quinto jogo com a camisa do Barça, Alcácer novamente foi uma sombra em campo e não levou perigo algum à defesa do Mönchengladbach. Sem Messi, ele foi escalado como centroavante, com Neymar e Suárez pelos lados do ataque. Mas pouco pegou na bola, não se entendeu com os companheiros e segue sem marcar nenhum gol pelo time catalão. Saiu aos 9 minutos do segundo tempo para a entrada de Rafinha, passando Suárez para o centro do ataque.

Mönchengladbach se fecha bem e ataca com velocidade

Martin Meissner/AP

A receita da equipe alemã para enfrentar o Barcelona foi simples: marcação organizada, com todos os jogadores atrás da linha da bola, pressão a partir do meio-campo e muita velocidade ao recuperar a bola. O Barça não esteve em um de seus melhores dias e cometeu erros que deixaram a defesa exposta – o mais óbvio foi quando Busquets foi desarmado por Dahoud, no lance que originou o gol de Thorgan Hazard após um rápido contra-ataque.

Raffael dá trabalho à defesa do Barça e sai lesionado

Martin Meissner/AP

O brasileiro foi um dos melhores jogadores do Mönchengladbach. Principal puxador de contra-ataques, ele foi fundamental para o time alemão não passar o jogo todo se defendendo: a cada roubada de bola no meio-campo, o camisa 11 era acionado para acelerar no contragolpe. Foi assim na jogada do gol. Porém, Raffael sentiu lesão muscular aos 3 minutos do segundo tempo e teve que sair precocemente para a entrada de Fabian Johnson. O Borussia perdeu muita força ofensiva com sua saída.

Barça pressiona e vira com falha de goleiro

Kai Pfaffenbach/Reuters

No segundo tempo, o Borussia Mönchengladbach passou bem mais tempo segurando a pressão do Barcelona do que tentando incomodar o goleiro Ter Stegen. E a pressão dos espanhóis se transformou no gol da virada aos 28 minutos, graças a uma falha do goleiro suíço Sommer: ele soltou um chute de Suárez e permitiu que o zagueiro Piqué aproveitasse o rebote para balançar as redes.

UOL Cursos Online

Todos os cursos