Os desafios de Neymar na Inglaterra: fama de cai-cai e atuações apagadas

João Henrique Marques

Do UOL Esporte, em Barcelona

  • Albert Gea/Reuters

    Neymar comemora na goleada de 4 a 0 do Barça contra o City no Camp Nou

    Neymar comemora na goleada de 4 a 0 do Barça contra o City no Camp Nou

A Inglaterra é território hostil para Neymar. Por lá, o atacante está acostumado com vaias relacionadas a sua fama de "cai-cai" e já passou até por briga com torcedor. Nesta terça-feira, às 17h45 (horário de Brasília), diante do Manchester City, pela Liga dos Campeões, o desafio ainda será o de marcar o primeiro gol pelo Barcelona em solo inglês. Até o momento foram três oportunidades, sendo duas delas enfrentando esse mesmo adversário e outra contra o Arsenal.

O tabu de Neymar contrasta com a eficiência do Barcelona. A equipe venceu os três jogos - 2 a 0 e 2 a 1 diante do City e 2 a 0 contra o Arsenal - que disputou com o atacante em campo.

Neymar, porém, sempre teve algumas atuações abaixo do normal pelo Barcelona na Inglaterra. Na primeira, em 2014 pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, entrou no segundo tempo – o atacante voltava de lesão no tornozelo e não tinha condições físicas de ser titular. Em 16 minutos em campo, o camisa 11 não conseguiu nenhuma finalização perigosa.

No primeiro jogo das oitavas de final de 2015, o cenário foi pior diante do mesmo City (foto abaixo). Neymar foi titular, mas parou na marcação do lateral direito argentino Zabaleta, que nunca foi conhecido pelas virtudes defensivas. Não deu um chute sequer na direção do gol, foi substituído no segundo tempo e chamou mais atenção pela reação: vaiado e chamado de "cai-cai" em toda a partida, o camisa 11 não se conteve e discutiu com um torcedor logo após a alteração.

Reuters / Jason Cairnduff Livepic
Já diante do Arsenal, a exibição até foi boa, superando muitas vezes a marcação individual do espanhol Bellerín, e dando assistência para um dos gols de Messi na vitória por 2 a 0.

"Seguramente, o Neymar já sabe como atuar no futebol espanhol e consegue se esquivar com maior facilidade do contato. Na Inglaterra, ele ainda não pegou o jeito. Contra os ingleses, o choque mano a mano é realmente mais usual", opinou Josep Soldado, jornalista da TV espanhola "La Sexta".

"É algo estranho. Não diria que é uma constatação, mas de fato o Neymar é um jogador leve, não gosta de contato e sofre com o oposto disso, que é o futebol inglês Embora ele já tenha crescido muito para esse tipo de jogo", opinou Nick Collins, repórter inglês da emissora "Sky Sports".

O problema que Neymar vive atualmente lembra algo que já foi enfrentado por Messi. No começo da carreira, o argentino teve de conviver com críticas porque não conseguia brilhar contra equipes inglesas.

Messi disputou dez jogos contra ingleses na Liga dos Campeões até fazer um gol. Ele só rompeu o jejum na decisão da temporada 2008/2009, de cabeça, numa vitória do Barcelona por 2 a 0 sobre o Manchester United.

A partir disso, o Messi que enfrenta os ingleses virou o Messi que o mundo já conhecia de outras partidas. O argentino, até então questionado por não brilhar contra os britânicos, fez oito gols nos dez jogos seguintes contra rivais oriundos do país. Dois deles foram na ida das oitavas de final deste ano (podiam ter sido três, mas ele desperdiçou um pênalti).

 

Quer receber notícias do Barcelona de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos