Quaresma faz 6 minutos de gala e vira destaque da rodada na Champions

Do UOL, em São Paulo

  • Osman Orsal/Reuters

Messi fez mais dois gols pelo Barcelona e até poderia ter sido o personagem máximo da Liga dos Campeões nesta quarta-feira (23). Noboa e Poloz, que conduziram o Rostov a triunfo histórico sobre o Bayern de Munique, também. Mas Quaresma, português do Besiktas, atropelou a concorrência com seis minutos de gala e assegurou o título de destaque da rodada.

A situação era mais do que adversa: o time turco recebeu o Benfica, time do país natal de Quaresma, e levou três gols só no primeiro tempo. Centuk Tosun diminuiu o prejuízo na metade final, mas não parecia suficiente: havia apenas mais 10 minutos de jogo e o placar era desfavorável para os donos da casa. Foi aí que o herói da vez entrou em ação.

Aos 38 da segunda etapa, Quaresma tomou para si a responsabilidade de cobrar pênalti e o fez com precisão – o goleiro brasileiro Ederson até acertou o canto, mas a bola bateu na trave e correu à rede. Seis minutos depois, o camisa 7 descolou, após descida pelo lado esquerdo do ataque, um incomum cruzamento de letra que encontrou Aboubakar dentro da área. O camaronês dominou a redonda, a colocou no fundo do barbante para fechar a conta em 3 a 3 e correu para abraçar a estrela do jogo.

É verdade que Quaresma, bem como todo o Besiktas, não estava bem até então, mas os seis minutos do atacante foram de craque – a carreira do português, aliás, é recheada de lampejos de Messi e apagões de perna-de-pau. "Estou feliz e estamos todos de parabéns", declarou o atleta depois do confronto, esquivando-se do protagonismo.

"Entramos no jogo um pouco adormecidos. Contra uma grande equipe como o Benfica isso não pode acontecer. Depois do intervalo mudamos a mentalidade e fomos à procura do resultado. Abafamos o Benfica. Com mais alguns minutos, poderíamos virar", prosseguiu.

REUTERS/Osman Orsal

Quaresma manteve o Besiktas na briga por uma vaga às oitavas de final da Liga dos Campeões pelo Grupo B, mas teve também outro motivo para vibrar: ele é torcedor do Porto, time pelo qual teve duas passagens na carreira, e comemorou ter tido o gostinho de frustrar os planos de seu eterno rival, o Benfica. O jogador  até lembrou do Porto após o embate:

"Sou portista e gostaria que o time passasse à próxima fase. Desejo-lhes a maior sorte do mundo".

O duelo ofereceu, além da liderança de Quaresma para reviravolta improvável, outras situações de destaque: o segundo gol do Benfica, de Semedo, foi uma pintura – um tiro de fora da área, de canhota, no ângulo. E nem foi o tento mais plástico do confronto: Centuk Tosun, para iniciar a reação turca, balançou a rede com finalização de voleio.

Outra curiosidade: Aboubakar, autor do gol decisivo, é jogador do Porto emprestado ao Besiktas. Rival do Benfica, a exemplo de Quaresma? Nada disso: o atacante tem bronca do time que é dono de seu passe. "Ao Porto eu não volto. Nunca mais!", sentenciou o camaronês.

UOL Cursos Online

Todos os cursos