De Jesus a Jonas: o que mudou na Liga dos Campeões desde 2016

Do UOL, em São Paulo

  • Alex Livesey/Getty Images

A Liga dos Campeões volta nesta semana. Para quem não lembra, são mais de dois meses de pausa, desde o final da fase de grupos. Com tanto tempo, é claro que os times que se classificaram em dezembro estão bem diferentes dos que entrarão em campo agora, em fevereiro. Veja o que mudou:

PSG x Barcelona (14/2 às 17h45)
AFP PHOTO / DAMIEN MEYER
Lucas tem 14 gols na temporada pelo PSG

PSG: a consolidação de Lucas

O time de Paris mudou e, na janela de inverno, foi um dos que mais gastou. Chegaram o alemão Julian Draxler (Wolfsburg) e o português Gonçalo Guedes (Benfica), em um investimento total de quase 60 milhões de euros. O maior beneficiado por isso, ironicamente, foi um brasileiro que já estava lá. Com Draxler, o técnico Unai Emery confirmou que Lucas, ex-São Paulo, é sua estrela do meio-campo e quem perdeu a vaga no time titular do PSG foi o argentino Di Maria. O resultado? O time venceu 10 dos últimos 11 jogos e passou o Nice, assumindo a vice-liderança do Campeonato Francês. Para terminar, o time fez outro ajuste em seu elenco: lembra do Jessé, o espanhol comprado por 25 milhões de euros? Não deu certo e já foi emprestado, após meia temporada, para o Las Palmas, da Espanha.

Barcelona tem tempo de se recuperar?

O Barça entrou na pausa da Champions cheio de dúvidas quando o assunto eram os torneios locais. O time estava sofrendo de maneira inédita contra times espanhóis, estava atrás de Real Madrid e Sevilla e muitos já descartavam a equipe como postulante ao título. Dois meses depois e as coisas mudaram. O Real está apenas um ponto acima na tabela do Espanhol e, principalmente, Luís Enrique começa a achar algumas soluções para seus problemas. Nos últimos cinco jogos, por exemplo, foram 19 gols, média de quase quatro por partida. É verdade que Neymar, criticado pela falta de gols, segue com uma temporada discreta (para os altos padrões exigidos do brasileiro), mas os outros dois do tridente MSN compensam: Suárez é o artilheiro do Espanhol com 18 gols, um a mais do que o vice-artilheiro, justamente Messi. O terceiro da lista é Cristiano Ronaldo, com 14 gols. O último final de semana, porém, apresentou um problema para o time: o lateral Aleix Vidal, que vinha jogando bem pela primeira vez com a camisa do Barça, sofreu uma lesão séria e só deve voltar a jogar no segundo semestre.

Benfica x Borussia Dortmund (14/2 às 17h45)
AFP PHOTO / PATRICIA DE MELO MOREIRA
Desde a volta de lesão, Jonas já marcou nove vezes pelo Benfica

Benfica aposta na volta de Jonas

Quando a China chegou a ofereceu um salário três vezes maior para que o centroavante Jonas, ex-Santos e Grêmio, saísse do Benfica, a torcida portuguesa prendeu a respiração. O jogador não foi negociado, para alívio vermelho. Aos 32 anos, ele é um dos principais jogadores do Benfica e a grande aposta para os mata-matas da Liga dos Campeões. Durante a primeira fase, ele estava contundido. Recuperado, já mostrou seu potencial: marcou nove vezes em 15 partidas – nos últimos seis jogos do Campeonato Português, por exemplo, foram cinco gols. Além disso, os portugueses também comemoram outra permanência: assediado por times como Barcelona e Manchester City, o goleiro brasileiro Ederson fica no elenco.

Borussia Dortmund preocupado com artilheiro

Se o Benfica está comemorando a volta de seu artilheiro, o Borussia Dortmund espera que o fim da pausa da Champions marque, também, a volta da boa fase de seu principal atacante. O gabonês Pierre Aubameyang é um dos principais jogadores do futebol europeu, mas desde o fim da fase de grupos marcou apenas dois gols – como comparação, o meia Marco Reus marcou, no mesmo período, três vezes. Além disso, a equipe lida com a má fase. Nos últimos sete jogos na Bundesliga, foram apenas duas vitórias (incluindo a derrota por 2 a 1 para o lanterna Darmstadt no último domingo).

Bayern Munich x Arsenal (15/02 às 17h45)
REUTERS/Michaela Rehle
Brasileiro Douglas Costa está insatisfeito com reserva no Bayern

Bayern e a crise com Douglas Costa

Na semana passada, eclodiu em Munique uma crise envolvendo um brasileiro. Desde o início da temporada, Douglas Costa virou reserva do Bayern. O jogador não se encaixava ao estilo de jogo pretendido por Carlo Ancelotti com a mesma perfeição que se adequava ao estilo de Pep Guardiola. Com isso, tem jogado menos tempo do que com o espanhol. Insatisfeito, deu uma entrevista dizendo que tinha propostas da China e de grandes clubes europeus. A polêmica não caiu bem e, agora, quem o critica é a diretoria do Bayern, acusando o jogador de tentar um aumento de salário. Para a Liga dos Campeões, porém, Ancelotti não deve ter muita alternativa: com Ribery contundido, o brasileiro deve ser titular contra o Arsenal.

Arsenal vive crise com renovações

Em Londres, o Arsenal é um caminhão de problemas. E nem todos são relacionados, obrigatoriamente, à fase do time – que também não é boa. As manchetes dos jornais envolvem a dificuldade de renovação de contrato com seus dois principais jogadores, o chileno Alexis Sanchez e o alemão Mesut Ozil. Ambos foram ligados a grandes clubes da Europa durante a última janela de transferências e devem esquentar ainda mais o debate nos próximos meses. Além disso, o próprio técnico Arsene Wenger é uma dúvida, já que o seu contrato também está acabando. Lesões, como as de Ramsey e Cazorla, também não ajudam – assim como a derrota para o Chelsea na semana passada, que tornou o título inglês uma possibilidade cada vez mais remota.

Real Madrid x Napoli (15/02 às 17h45)
AFP PHOTO / CARLO HERMANN
Mertens é o vice-artilheiro do Italiano, atrás apenas de Dzeko, da Roma

Será que o número de lesões do Real vai diminuir?

A vida de Zinedine Zidane não tem sido fácil no Real Madrid. Desde o início da temporada, ele tem lidado com uma série de lesões em seu elenco. Todo o seu meio-campo titular, formado por Casemiro, Modric e Toni Kroos, já ficou de molho, assim como boa parte de seus defensores (Carvajal, Marcelo, Pepe e Sérgio Ramos já ficaram afastados) e atacantes (Benzema e Morata já se contundiram, Bale está fora e Cristiano Ronaldo tem jogado sem condições físicas ideais) – sem contar os reservas que já perderam partidas no DM, como James Rodriguez e Isco. Durante o fim de semana, Marcelo, Modric e James voltaram a campo e Carvajal e Kroos estão treinando para o duelo com o Napoli. Bale também já voltou a treinar, mas só deve ser usado, na Liga dos Campeões, no jogo de volta, marcado para 7 de março. O reflexo de tantos problemas é a fase inconstante do time: nos últimos nove jogos, foram cinco vitórias, duas derrotas e dois empates.

Napoli e o homem-gol inesperado

O time italiano é um dos mais intrigantes da Liga dos Campeões no momento. O último jogo da fase de grupos, vitória de 2 a 1 sobre o Benfica, foi o marco de uma nova fase. Naquela partida, o belga Dries Mertens foi deslocado para a posição de centroavante, marcou uma vez e deu passe para outro gol, e começou a render como poucos acreditavam ser possível. Foram 13 gols desde então, incluindo três jogos com três ou mais gols: ele fez três nos 5 a 0 sobre o Cagliari, quatro nos 5 a 3 sobre o Torino e três nos 7 a 1 sobre o Bologna. Com tudo isso, o time napolitano venceu nove dos últimos 11 jogos que fez e subiu para o terceiro lugar do Campeonato Italiano. Bem diferente do time que, no meio da fase de grupos da Champions, questionava se a ausência do polonês Milik (que sofreu uma séria lesão no joelho) iria custar a temporada.

Manchester City x Monaco (21/02 às 16h45)
REUTERS/Jean-Paul Pelissier
Falcao Garcia comanda o melhor ataque da Europa

City e aposta em Jesus

Para os brasileiros, a grande notícia em Manchester é o surpreendente início de carreira de Gabriel Jesus no Manchester City. Nada disso seria possível, porém, não fosse a má fase da equipe treinada por Pep Guardiola. Depois de um início arrasador na Premier League, o técnico espanhol sofreu contra rivais ingleses e chegou a cair para o quarto lugar do Campeonato local nas últimas semanas. A crise foi tão grande que ele teve até de afastar a sua principal aposta para a temporada, o goleiro Claudio Bravo, do time titular. O chileno, que passou três jogos sem fazer nenhuma defesa, foi substituído pelo argentino Caballero. Coincidência ou não, o City só venceu com o novo goleiro...

A chuva de gols do Monaco

Do outro lado do confronto, para desespero de um time que se defende tão mal quanto o Manchester City, está o melhor ataque da Europa. Com a volta dos gols do colombiano Falcao Garcia, e um time jovem e veloz que dá suporte para seu veterano capitão, o Monaco marcou 75 gols em 25 jogos e assumiu a liderança do Campeonato Francês, superando o Nice, surpresa do início da competição. Para os brasileiros, a boa notícia é o aumento do contingente verde-amarelo. O lateral esquerdo Jorge foi comprado do Flamengo e se junta a Fabinho, agora volante, e Jemerson, zagueiro que saiu do Atlético-MG, titulares - Boschilla, ex-São Paulo, um dos principais reservas do time, sofreu uma séria lesão no fim de semana e não deve mais jogar nesta temporada.

Bayer Leverkusen x Atlético de Madri (21/02 às 16h45)
Xinhua
Calhanoglu, do Leverkusen, está suspenso por 4 meses

Leverkusen perde o seu cérebro

O menos badalado dos três times da Alemanha classificados na Liga dos Campeões, o Leverkusen vive um verdadeiro inferno astral. Não bastasse o nono lugar na Bundesliga e as três derrotas nos últimos sete jogos, o time ainda perdeu seu melhor jogador. O turco Hakan Calhanoglu, meio-campista e cérebro do time, foi suspenso por 4 meses pela Fifa por não ter honrado um pré-contrato que assinou com o Trabzonspor em 2012. Ele abriu mão do salário até poder voltar a jogar. A boa notícia é que a má fase de seu homem gol, Chicharito Hernandez, parece ter terminado: após passar 15 jogos sem marcar, ele fez três gols nos últimos dois jogos.

Atlético de Madri em crise

Do outro lado, o Atlético está melhor. Mas não muito. Desde o início da temporada, Diego Simeone tem sido criticado pela queda de rendimento do time, principalmente pelo aumento no número de gols sofridos. A Liga dos Campeões, em que o Atlético de Madri foi um dos melhores times da primeira fase amenizava a pressão, mas nos dois meses sem o torneio continental as coisas pioraram. Foram quatro empates nos últimos seis jogos antes da vitória dramática sobre o Celta, no último domingo. Além disso, o uruguaio Godin está machucado e o francês Griezmann sofreu uma queda de desempenho desde que os jornais ingleses começaram a publicar que ele já teria concordado em assinar com o Manchester United.

Porto x Juventus (22/02 às 16h45)
Giorgio Perottino / Reuters
Mandzukic (dir) está agradando jogando pelos lados na Juve

Porto: melhor defesa da Europa

Com cinco vitórias nos últimos jogos do Campeonato Português, o Porto já ameaça o título que parecia certo para o Benfica – apenas um ponto separa os dois rivais. O que pouca gente percebeu, porém, é que tudo isso foi moldado pela eficiência da dupla de zaga azul, formada por Felipe, zagueiro que deixou o Corinthians no meio de 2016, e pelo espanhol Marcano – é a melhor zaga das seis grandes ligas europeias, com apenas 11 gols sofridos em 21 jogos. Resta saber se isso será suficiente para segurar o ataque da Juventus com Higuain, Dybala e Mandzukic.

Juventus e as duas torres de ataque

Enquanto o Porto se orgulho de sua zaga, a Juventus aproveita um ataque de respeito. A lesão de Dybala, no fim do ano passado, obrigou o técnico Massimiliano Allegri a olhar para seu elenco em busca de soluções para o ataque. Encontrou em Mandzukic, centroavante por toda a sua carreira, uma boa opção de lado de campo. Hoje, o croata é titular pela esquerda do ataque da Velha Senhora, com Higuain centralizado e o também argentino Dybala chegando pelo meio, mais recuado. Além disso, o time parece ter encontrado a melhor solução para o seu meio-campo defensivo, com Pjanic, Khedira, Marchisio e o recém-chegado venezuelano Tomás Rincón se revezando em duas vagas no setor. No Campeonato Italiano, o time soma seis vitórias seguidas e já tem sete pontos de vantagem sobre a vice-líder Roma.

Sevilla x Leicester (22/02 às 16h45)
AFP PHOTO / CRISTINA QUICLER
Jovetic marcou dois gols em seus primeiros três jogos pelo Sevilla

Montanha russa no Sevilla

Os dois meses da pausa foram uma verdadeira montanha russa para o Sevilla. Nas últimas semanas, o técnico Jorge Sampaoli foi chamado de gênio da na Espanha e colocou a equipe na briga pelo título. Hoje, porém, vê o time perder desempenho. Foram seis vitórias seguidas no Campeonato Espanhol entre 11 de dezembro e 22 de janeiro – incluindo uma vitória por 2 a 1 sobre o líder Real Madrid. Bastaram, porém, uma derrota para o Espanyol e um empate com o Villarreal para mandar o time para o terceiro lugar na tabela. A equipe, porém, chega reforçada: o montenegrino Jovetic chegou por empréstimo e, em quatro jogos, já marcou duas vezes. Sobre Ganso, a situação do brasileiro segue a mesma: ele é reserva e, algumas vezes, nem mesmo é relacionado para os jogos.

Leicester luta contra o rebaixamento

O encanto do patinho feio que superou todas as adversidades no milionário futebol inglês e conquistou o título da Premier League acabou. O Leicester é o 17º colocado do Campeonato Inlgês, está só uma posição acima da zona de degola e já fala abertamente sobre a luta contra o rebaixamento. Já são cinco derrotas seguidas no Campeonato Inglês. Apesar da boa fase na Champions (foram quatro vitórias na fase de grupos), ninguém pode garantir que o time seguirá empenhado no torneio continental se, em casa, tem de lutar pela permanência na elite de seu campeonato nacional.

UOL Cursos Online

Todos os cursos