Abre o olho, Real! O que Zidane e CR7 precisam fazer para não repetir Barça

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters / Sergio Perez

    Cristiano Ronaldo conversa com Zidane; dupla tem missão difícil nesta quarta

    Cristiano Ronaldo conversa com Zidane; dupla tem missão difícil nesta quarta

Era possível prever uma vitória do PSG, mas alguém apostaria em uma goleada sobre o Barcelona? Um dia depois do atropelamento de Messi e companhia em Paris, é o Real Madrid quem está em foco. Diante do Napoli, também um adversário perigoso, o que Zidane e Cristiano Ronaldo precisam fazer para evitar seu vexame particular? Na lista abaixo, o UOL Esporte tenta mostrar as chaves do confronto que pode definir o futuro do atual vencedor da Liga dos Campeões.

Não cair na soberba

O duelo entre Barcelona e PSG não é exatamente um parâmetro, dada a diferença de investimento e qualidade técnica entre os franceses e o Napoli. Nem por isso, no entanto, os italianos devem ser desprezados. Vice-campeã em duas das quatro últimas temporadas, a equipe celeste novamente disputa a segunda colocação da Séria A com a Roma e tem um elenco capaz de incomodar os grandes do continente.

O próprio Real sabe que não pode dar mole. Na campanha do título do ano passado, as pretensões de Zidane e CR7 quase foram interrompidas por uma derrota surpreendente para o Woflsburg, fora de casa, por 2 a 0. O revés forçou o time merengue a se desdobrar na volta, conquistando a vaga graças a uma atuação memorável do camisa 7 português.

Superar a lei do ex

A brincadeira de que o jogador renegado marca sempre contra o antigo clube vale muito para o Real Madrid, que tem longo histórico no quesito. Nesta quarta, o maior candidato a algoz merengue é Callejón, atacante revelado no clube que foi para a Itália em 2013. A relação com o Santiago Bernabeu é tão grande que ele já disse que não deve comemorar caso vá às redes no confronto.

O carinho, porém, geralmente não impede ex-jogadores do Real de castigarem seu ex-clube. Um dos exemplos mais recentes é Morata, que surgiu no clube e fez, pela Juventus, um gol decisivo na semifinal da Liga em 2015, eliminando os merengues. Além dele, nomes como Eto'o, Huntelaar, Luis Enrique, Mata, Robben, Sneijder, Zamorano e Morientes foram alguns dos ex-jogadores que marcaram contra o time da capital espanhola.

Seguir bem mesmo sem Bale

Zidane levou um susto na semana. Acostumado a ter o departamento médico lotado, o francês por pouco não perdeu Cristiano Ronaldo, sua principal estrela, que tinha uma lesão na perna direita e chegou a ficar fora de um treinamento, mas acabou relacionado para o confronto. Nem só de boas notícias vive o Real, no entanto.

Embora possa contar com o atual melhor do mundo, o time madrilenho não terá Bale, fora de ação desde o ano passado por causa de uma luxação no tornozelo direito. O galês até voltou a treinar, mas Zidane preferiu "ir com calma" com o jogador, que tem longo histórico de lesões. Além dele, o brasileiro Danilo e o jovem Asensio, que apareceram bastante nos últimos tempos, também ficam fora por questões médicas.

Não cair na pressão de Maradona e da torcida

Maior ídolo da história do Napoli, o argentino está em Madri para acompanhar de perto a empreitada de seu ex-clube. Desde que pisou na Espanha, ele quase saiu no tapa com jornalistas, recusou-se a dar prognósticos e adotou a postura de quem não tem o que temer. Nem ele e nem a torcida.

Conhecida como uma das mais fanáticas da Itália, a organizada do Napoli se mobilizou para ir em peso ao Santiago Bernabéu, assustando a imprensa espanhola. Na última terça, os principais jornais de Madri acompanharam com atenção a jornada dos visitantes, o protocolo de segurança a ser seguido e a reação dos madrilenhos a todo o contexto.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos