Bayern atropela o Arsenal com dois gols de Thiago e encaminha classificação

Do UOL, em São Paulo

Quando o sorteio da Liga dos Campeões colocou o Bayern de Munique no caminho, os torcedores do Arsenal já esperavam um duelo duro nas oitavas de final. Mas qualquer expectativa de triunfo inglês se esvaiu logo na primeira partida. Nesta quarta-feira (15), no Allianz Arena, o time alemão não tomou conhecimento e venceu por 5 a 1, com dois gols de Thiago Alcântara – Lewandowski, Robben e Müller fizeram os demais para o Bayern.

O gol solitário do Arsenal saiu de maneira sofrida: Sánchez perdeu o pênalti e marcou depois de falhar também no rebote. O tento faz com que o time inglês precise fazer 4 a 0 no jogo de volta, na Inglaterra, para avançar. Qualquer resultado inferior a esse dará a classificação ao Bayern. Um 5 a 1 para os ingleses levará o jogo para a prorrogação.

O próximo duelo entre as duas equipes está marcado para o dia 7 de março, às 16h45 (de Brasília).

Robben abre o placar

AP Photo/Matthias Schrader

Demorou apenas 10 minutos para o Bayern abrir a contagem na Allianz Arena, e você já deve imaginar como foi a jogada decisiva: o atacante desceu pelo lado direito, cortou para o meio e bateu cruzado. Lance manjado e mais um golaço. A bola entrou no ângulo de Navas.

Neuer quase leva frango

Alexis Sánchez foi derrubado por Hummels em contra-ataque, caindo dentro da área do Bayern. Como o contato teve início fora da área, a arbitragem assinalou a falta no lado direito. Özil foi o encarregado da cobrança. O meia bateu no canto direito de Neuer, que tinha montado a barreira protegendo a esquerda de sua meta. Sempre seguro, o goleiro foi para encaixar, mas bateu roupa e deu o rebote para o ataque adversário, que mandou para fora. O lance, no entanto, tinha sido paralisado por impedimento dos jogadores do clube inglês.

Sánchez perde pênalti e falha no rebote, mas faz gol

Reuters / Michaela Rehle

O lance mais inusitado da rodada da Liga foi o protagonizado por Alexis Sánchez, no primeiro tempo da partida. Aos 29 minutos, o atacante Lewandowski cometeu pênalti no zagueiro Koscielny: Sánchez, estrela do Arsenal, assumiu a responsabilidade da cobrança e bateu firme, no canto direito. Neuer pegou. No rebote, o chileno furou feio. Mas ele teve mais uma chance: a bola seguiu pipocando na área, Alexis a dominou no peito e finalizou cruzado e deixou tudo igual na partida.

Cech aquece, mas quem sai é Koscielny

A dividida com Douglas Costa fez com que o goleiro Ospina levasse a pior. O arqueiro ficou caído no chão com dores no ombro, o que fez com que Petr Cech começasse a aquecer para substituí-lo. Mas quem acabou saindo, no entanto, não teve nenhuma relação com o lance. No mesmo momento, o zagueiro Koscielny sentiu dores musculares e foi substituído por Gabriel Paulista.

Lewandowski dá gol e passe em três minutos

Reuters / Michael Dalder

Melhor no segundo tempo, o Bayern utilizou um espaço de três minutos para abrir vantagem sobre o Arsenal. E nos dois lances, com grande participação de Robert Lewandowski. No primeiro, aos 7, Robben tocou para Lahm, que cruzou para a área e o camisa 9 subiu mais que Mustafi para cabecear para o fundo das redes. Três minutos mais tarde, o mesmo Lewa deu excelente passe de letra, deixando Thiago Alcântara livre, para fazer o terceiro do time alemão.

Bayern metralha, e Thiago Alcântara faz mais um

Reuters / Michaela Rehle

O domínio alemão só aumenta após o terceiro gol. Aos 16 minutos, Lewandowski se livrou de Ospina, mas acertou a trave. No rebote, Robben chutou e a bola tocou na mão de Gibbs e foi para escanteio – o holandês reclamou veementemente pedindo pênalti. Na sequência, Javi Martínez cabeceou e Ospina fez grande defesa.

O Bayern, no entanto, ainda não havia esgotado seu arsenal. Logo na sequência, Thiago Alcântara chutou de fora da área, a bola desviou na zaga e enganou Ospina. O quarto gol, enfim, era uma realidade.

Um gol de 7 a 1

Reuters / Michaela Rehle

O tento que acabou com a partida se assemelhou bastante aos marcados na fatídica vitória da Alemanha sobre o Brasil na Copa. Chamberlain se atrapalhou e perdeu a bola. Thiago entrou na área, olhou e tocou para Müller, que entrara no lugar de Lewandowski dois minutos antes. O autor de um dos gols daquele dia teve calma para limpar uma defesa desanimada do Arsenal e bater firme para fazer o quinto do Bayern.

UOL Cursos Online

Todos os cursos